De que está à procura ?

Comunidades

PSD: associações pararam e a culpa não é da pandemia

O PSD lamentou a estagnação do associativismo português na diáspora e apontou o dedo às ações levadas a cabo pelos últimos governos socialistas, vincando que a pandemia não pode servir como desculpa. A declaração é de Maria Ester Vargas, cabeça de lista do PSD pelo círculo da Europa, que falava ao BOM DIA no contexto de dois debates com os partidos portugueses candidatos às eleições legislativas de 30 de janeiro.

“Nos últimos anos tem havido um retrocesso na aproximação com as comunidades. O PSD sempre pugnou pela proximidade com o movimento associativo e sempre levou a cabo ações de formação para os dirigentes, mas as associações têm parado nos últimos anos e a pandemia não pode servir de desculpa”, explicou.

Questionada sobre o programa do próprio partido, em muito semelhante às principais medidas socialistas, Maria Ester Vargas assumiu que “o PS tem algumas medidas corretas”, mas sublinhou que o PSD prevê “uma abordagem mais concreta para estabelecer uma ligação mais direta entre os cidadãos residentes no estrangeiro e as entidades portuguesas”.

Sobre a sucessão de Carlos Gonçalves, até então cabeça de lista pelos sociais-democratas no círculo da Europa, Maria Ester Vargas foi perentória ao afirmar que lhe foi dado um voto de confiança do partido devido ao trabalho desenvolvido junto dos portugueses de Berna durante os seis anos em que trabalhou na Embaixada de Portugal naquela cidade suíça.

Desafiada a eleger as principais medidas do programa do PSD para a diáspora, Maria Ester Vargas apontou a alteração da legislação eleitoral “de forma a garantir métodos de participação mais simples”, aludindo ao voto eletrónico, e o aumento dos deputados da emigração junto da Assembleia da República.

O BOM DIA colocou a todos os participantes as mesmas seis questões, às quais a cabeça de lista do PSD respondeu assim:
– Voto eletrónico: sim
– Recenseamento automático: sim
– Mais candidatos pelos círculos da emigração: sim
– Ensino de português gratuito: sim
– Nacionalização da TAP: não se pronunciou

Para o primeiro debate aceitaram o convite do BOM DIA Livre, Bloco de Esquerda, Nós, Cidadãos!, Ergue-te, Aliança, ADN e CDU. O segundo debate juntou PSD, PS, PAN, Iniciativa Liberal, Volt Portugal, CDS-PP e MAS. Os partidos MPT, PCTP/MRPP, RIR, PTP e Chega não responderam ao convite.

Veja aqui o debate entre PSD, PS, PAN, Iniciativa Liberal, Volt Portugal, CDS-PP e MAS:

Legislativas 2022: Candidatos pela Europa

Legislativas 2022: Candidatos pela Europa

Posted by BOM DIA on Saturday, January 15, 2022

TÓPICOS