De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Lifestyle

Murça transforma casa do soldado Milhões em atração turística

A Câmara de Murça vai criar um centro interpretativo na antiga casa do soldado Milhões, para homenagear e divulgar o herói da Primeira Guerra Mundial e atrair visitantes à aldeia de Valongo de Milhais e ao concelho.

O presidente da autarquia do distrito de Vila Real, Mário Artur Lopes, disse que o projeto visa a recuperação da casa onde viveu Aníbal Augusto Milhais para a instalação de um centro interpretativo onde se possa conhecer a sua história, a vida da época e momentos da Grande Guerra.

Aníbal Augusto Milhais foi um soldado raso que combateu na Primeira Guerra Mundial e ganhou fama quando se bateu sozinho contra os alemães para ajudar à retirada das forças aliadas, durante a Batalha de La Lys.

Milhais acabou por ficar conhecido como o soldado Milhões, um epíteto que nasceu com o elogio do seu comandante, Ferreira do Amaral: “Tu és Milhais, mas vales milhões”.

Aníbal Augusto Milhais morreu aos 75 anos em Valongo, a aldeia do concelho de Murça que adotou o nome de Milhais em sua homenagem. Na quarta-feira assinalaram-se 50 anos da sua morte.

O autarca acrescentou que haverá também um trilho pedestre, pelos percursos percorridos antigamente entre a localidade e a praceta Herói Milhões, na vila de Murça.

O objetivo é criar um “polo de atração turística” para este concelho.

A casa foi cedida pela família de Aníbal Augusto Milhais, o projeto representa um investimento que ronda os 250 mil euros, com financiamento do programa Valorizar, e, segundo Mário Artur Lopes, o concurso público para a obra vai ser lançado “em breve”.

No âmbito da estratégia do município para alavancar o turismo no concelho, vão também ser criados os passadiços do Tinhela, no âmbito de um projeto que contempla uma intervenção junto ao rio e à Estrada Nacional 15 (EN15), de onde sairá um percurso que ligará à vila, com passagem pelo ex-líbris Porca de Murça, pelo pelourinho ou a capela da Misericórdia.

Este projeto foi aprovado no âmbito das medidas de apoio do Douro Histórico e representa um investimento de 170 mil euros.

Mário Artur Lopes classificou o turismo como uma “fonte de desenvolvimento económico que pode alavancar a criação de postos de trabalho” no concelho.

De acordo com o autarca, entre obras em curso ou em concurso público, está previsto concretizar um investimento que ronda os sete milhões de euros no concelho, nos próximos dois anos.

O autarca destacou o aproveitamento dos fundos comunitários disponíveis e elencou a requalificação da Escola EB 2,3 e Secundária como o “maior investimento deste mandato”.

O concurso público para a obra foi lançado pelo preço base de 2,8 milhões de euros e a intervenção inclui a requalificação e modernização dos edifícios, bem como a retirada das placas de amianto das coberturas.

Em fase de concurso público estão também os projetos para a construção do interface rodoviário (570 mil euros) e a recuperação do antigo edifício da Cooperativa de Olivicultores para acolher os serviços operacionais do município (505 mil euros).

O edifício do antigo jardim de infância de Murça vai também ser ampliado e readaptado para substituir o degradado posto da GNR, no âmbito de um protocolo assinado entre o município e o Ministério da Administração Interna (MAI).

De acordo com o MAI, o projeto de execução da obra deverá estar concluído até ao início do próximo ano e o investimento estimado é de 875 mil euros (sem IVA).

Concluído está já, segundo Mário Artur Lopes, o alargamento da zona industrial, uma obra que classificou como “decisiva”, custou 200 mil euros e criou mais 13 lotes para a instalação de empresa.

#portugalpositivo