De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Mundo

Senegal: condecorações para quem contribuiu para a língua portuguesa

O Presidente da República de Portugal Marcelo Rebelo de Sousa(C), posa para a foto com os professores Amadou M´Bow (E) e José Horta (D), após os ter condecorado respetivamente com a GrâCruz da Ordem do Infante D. Henrique e Comendador da Ordem de Mérito, durante um encontro com a comunidade portuguesa radicada no Senegal, Dakar, Senegal, 13 de abril de 2017 . O Presidente da República visita três ilhas de Cabo Verde, de 08 a 12 de abril, seguindo depois para uma visita de Estado inédita ao Senegal, entre 12 e 13 do mesmo mês. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou, em Dacar, o professor de português José Horta e o antigo ministro senegalês Amadou-Mahtar M’Bow pelos seus contributos para o ensino da língua portuguesa no Senegal.

O português José Horta, de 62 anos, é professor no curso de estudos portugueses da Universidade de Dacar desde 2005 e formador de professores, através do Instituto Camões, no qual é o responsável pelo Centro de Língua Portuguesa.

Numa cerimónia na Embaixada de Portugal em Dacar, o Presidente da República atribuiu-lhe o grau de comendador da Ordem do Mérito, José Horta, elogiando e agradecendo o seu papel para o crescimento do ensino da língua portuguesa no Senegal, onde é estudada por 46 mil alunos.

Na mesma cerimónia, o antigo deputado e antigo ministro senegalês da Educação, Cultura, Juventude e Desporto Amadou-Mahtar M’Bow, de 96 anos, foi condecorado pelo chefe de Estado com a grã-cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

O Presidente referiu que Amadou-Mahtar M’Bow instituiu o ensino das línguas estrangeiras no Senegal, que esteve na base da introdução do português na rede escolar neste país da África Ocidental, e foi diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) de 1974 a 1987.