De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Mundo

Violaram coletivamente jovem de 16 anos e colocaram imagens na net

Uma jovem de 16 anos terá sido vítima de uma violação coletiva, levada a cabo por dezenas de homens, que depois divulgaram imagens do momento no Twitter.

O caso aconteceu na Zona Oeste do Rio de Janeiro e está a chocar o Brasil.

Segundo a edição online do jornal O Globo, a menor, que teria um relacionamento com um rapaz de 20 anos, foi dormir a casa do namorado na passada sexta-feira, mas garante só ter acordado no domingo, com mais de 30 homens em torno de si. O Globo cita a avó da vítima, que garante que a adolescente foi drogada para não resistir durante os abusos.

“O vídeo é chocante, eu assisti. Ela está completamente desligada”, disse a avó da adolescente, em entrevista à rádio CBN.

A polícia e o Ministério Público estão a investigar o crime e dois dos responsáveis pela divulgação das imagens foram já identificados e detidos. A vítima já foi ouvida.

Os agressores chegaram mesmo a colocar online, através de uma conta no Twitter – entretanto suspensa pela rede social – imagens da violação. A adolescente parece desmaiada e é visível o rosto de um dos homens presentes. Segundo a imprensa brasileira, os homens que estiveram envolvidos na violação fizeram vários comentários irónicos ao vídeo de 40 segundos, para choque dos internautas, que nos últimos dias reagiram à violação nas redes sociais com a hastahg #eEstuproNuncaMais, criticando a “cultura de violação” que existe no Brasil. Grupos ativistas já pediram à população brasileira que se mobilize e se manifeste nos próximos dias.

A vítima só descobriu dias depois do crime que um vídeo tinha sido divulgado na Internet. A polícia identificou entretanto quatro dos alegados violadores, tendo emitido os respetivos mandados de captura. Um dos homens identificados é o namorado da adolescente, que a terá convidado para ficar na casa dele no fim de semana passado, e outros dois são também suspeitos de terem colocado online as imagens da violação.

A ONU Mulheres Brasil, delegação brasileira da entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Género e Empoderamento das Mulheres, reagiu em comunicado às notícias da violação em massa. Além do caso da jovem do Rio de Janeiro, uma outra violação perpetrada por cinco agressores foi reportada nos últimos dias no estado do Piauí, pedindo a ONU Mulheres que ambos os casos sejam investigados pelos poderes públicos do Brasil e que seja respeitada a dignidade e a privacidade das vítimas, que muitas vezes são discriminadas devido a preconceitos sexistas.

A adolescente de 16 anos reagiu entretanto no Facebook, agradecendo o apoio demonstrado por todo o país. “Venho comunicar que roubaram o meu telefone, obrigada pelo apoio de todos. Realmente pensei que seria julgada mal”, escreveu. As respostas à publicação foram sobretudo de encorajamento, além das mensagens de indignação com o sucedido.