De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Lifestyle

Tens entre 8 e 12 anos e queres entrevistar artistas?

“Agora pergunto eu!” é o nome do mais recente projeto digital, criado em  tempo de pandemia pela galeria de arte zet gallery. Trata-se de um magazine vídeo em que crianças, entre os 8 e os 12 anos, são desafiadas a entrevistar  artistas representados pela galeria, contando para o efeito com o apoio técnico e científico dos pais. O resultado da entrevista é publicado aos sábados nas redes sociais e no site da zet gallery. O primeiro episódio do magazine já está disponível e coloca frente a frente Morgana Morais, de 10 anos, e o escultor Pedro Figueiredo. As artistas plásticas Cristina Troufa e Xana Abreu são as convidadas que se seguem.

Sem sair de casa e recorrendo às ferramentas digitais disponível, a zet gallery junta no mesmo desafio pais, filhos e artistas, que resulta num conteúdo digital apelativo, criativo e surpreendente. “É uma forma de podermos contribuir para que, neste período indeterminado, as famílias reforcem os seus laços através da realização de diferentes atividades e, em simultâneo, de promover atividades pedagógicas que estimulem a literacia das artes, ou seja, ações indutoras de conhecimento através do contacto diário com a obra de arte, nomeadamente com a obra de arte contemporânea”, destaca Helena Mendes Pereira, diretora da zet gallery. As crianças interessadas em participar neste desafio podem inscrever-se através do email geral@zet.gallery.

Morgana Morais, de Braga, foi a primeira entrevistadora convidada para o “Agora Pergunto Eu!” e o escultor Pedro Figueiredo o primeiro artista a participar. O resultado do episódio do magazine vídeo já está disponível e responde, entre outras questões, à emotiva pergunta “Acredita que as esculturas têm coração?”.

“Inspirada por algumas das crianças que participaram com um entusiasmo fabuloso no Festival Varandas, a que nos associamos,  surgiu a ideia deste “Agora pergunto eu!”, explica Helena Pereira Mendes. É uma espécie de “três em um”, adianta, “por um lado, as crianças são desafiadas a preparar uma entrevista a um dos nossos artistas que farão através dos meios de comunicação digital disponíveis. Têm que pesquisar, estudar. Estão entretidos e, ao mesmo tempo, a aprender. A ser como os jornalistas que, agora, provavelmente, vêm todos os dias na televisão. Por outro lado, os pais têm que ajudar na pesquisa e na gravação, numa espécie de consultores científicos e técnicos, tornando-se, por isso, uma atividade para toda a família. E, por último, promovemos os nossos artistas de forma diferente”.

Esta iniciativa insere-se num conjunto de ações que a zet gallery está a colocar em marcha para  apoiar os artistas no momento em que o mundo atravessa a pandemia de covid-19 e atinge de forma profunda o setor artístico. Para além do espaço físico, a zet gallery dispõe de uma plataforma online, a partir da qual representa e gere cerca de 480 artistas, nacionais e estrangeiros. “Estamos em teletrabalho e temos feito um esforço para criar novos conteúdos online que permitem promover o trabalho dos artistas e colocá-los em contacto com o público”, conclui.