De que está à procura ?

Colunistas

Quantos infinitos há no infinito?

Acordo a teu lado e tu tão perfeita
posta em ledo e sereno sossego
doem-me os instantes em que te irás
com o esforço de quem rasga os céus
detenho o relógio quântico
uma fracção de segundo tão somente
tempo roubado ao tempo e ao espaço
unicamente para olhar para ti
e nesse segundo usurpado
sem que ninguém perceba
o mundo dá uma volta completa a Sagitário A

porque eu te amo agora e depois
e até antes de te amar já te amava
nas minhas fantasias, poluções, devaneios, ideais

desde aquela vez em que te cruzei em sonho
numa praça imensa cheia de gente
e te reconheci como a minha alma gémea
apesar de não saber ainda quem eras
nem se existias ou se eras apenas um arquétipo de Jung
ou de Platão descendo do mundo das ideias à Terra
visitando oniricamente este mero mortal
culturalmente afetado por um obsessivo viés disney-psicótico
mal eu sabia que a nossa rota de colisão já estava traçada.

Por isso, hoje, sabes, dou valor
por estares aqui a meu lado
e amo-te assim, além da idade e da vida
e das eras e dos éons até ao infinito e bem após
e em todos os multiversos, supraversos,
infraversos quânticos, realidades paralelas
e todos os infinitos que cabem no infinito.

JLC26032021

 

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

TÓPICOS