De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Comunidades

PSD Paris: há uma rotura quase total da rede consular

“Os militantes do PSD Paris vêm novamente alertar para a situação de rotura quase total que conhece a nossa rede consular nomeadamente em França”, pode ler-se nas conclusões da reunião da Secção do PSD Paris a que o BOM DIA teve acesso.

A Secção do PSD de Paris reuniu de forma presencial este sábado para debater “vários temas importantes para a área das Comunidades Portuguesas”, tendo criticado o governo na gestão da rede consular mas também no que respeita ao processo “para a marcação das eleições para o Conselho das Comunidades que já levam dois anos de atraso”, denunciam os social-democratas.

“Se é verdade que a pandemia pode explicar algum atraso, os militantes desta estrutura lembram que durante este período já tiveram lugar as eleições presidenciais, as eleições para o Parlamento Europeu e bem recentemente as eleições autárquicas”, pode ler-se nas conclusões desta reunião do PSD Paris.

No que respeita aos serviços consulares, os militantes do PSD parisienses falam de “incapacidade no atendimento, apesar do esforço dos Chefes de Posto e dos funcionários que foram abandonados à sua sorte pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, não tem paralelo na história da democracia e deixa uma imagem do nosso país junto das autoridades locais que a todos envergonha”.

No final da reunião foi aprovado um texto com as seguintes conclusões:

“1. A Secção do PSD Paris saúda todos aqueles que se candidataram nas listas do PSD às eleições autárquicas e destaca as candidaturas de militantes das estruturas da emigração que, apesar da distância, estiveram empenhados neste processo eleitoral dando visibilidade a um sector que deve também contar para o Poder Local.
Foram um excelente exemplo do que é ser português a residir no estrangeiro.

2. Os militantes do PSD Paris vêm novamente alertar para a situação de rotura quase total que conhece a nossa Rede Consular nomeadamente em França.
Chegam-nos todos os dias testemunhos de pessoas que desesperam por um simples agendamento ou apenas que uma chamada telefónica seja atendida para que possam obter uma informação.
Meses e meses de atraso no atendimento dos utentes o que cria imensos problemas às pessoas, às famílias e às empresas.
A incapacidade no atendimento, apesar do esforço dos Chefes de Posto e dos funcionários que foram abandonados à sua sorte pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, não tem paralelo na história da democracia e deixa uma imagem do nosso país junto das autoridades locais que a todos envergonha.
Há vários anos que temos vindo a alertar para esta situação que mereceu do Governo anúncios e mais anúncios que já prenunciavam a situação de colapso que agora vivemos.

3. A Secção do PSD Paris manifesta também a sua total perplexidade pela forma como está a ser gerido o processo para a marcação das eleições para o Conselho das Comunidades que já levam dois anos de atraso. Se é verdade que a pandemia pode explicar algum atraso, os militantes desta estrutura lembram que durante este período já tiveram lugar as eleições presidenciais, as eleições para o Parlamento Europeu e bem recentemente as eleições autárquicas.
A forma como o Governo tem gerido este processo describiliza um órgão fundamental para a definição de políticas para as comunidades portuguesas.
As comunidades não merecem ser tratadas desta forma.”