De que está à procura ?

Mundo

Portugal recorda e homenageia vítimas do Holocausto

O Governo português recorda esta segunda-feira em comunicado as vítimas do Holocausto no dia que se assinala a libertação pelas tropas aliadas do campo de concentração da nazi de Auschwitz-Birkenau, localizado na Polónia, durante a II Guerra Mundial.

Segundo um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), “assinala-se hoje o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. Há 75 anos, foi libertado pelas tropas aliadas o campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, símbolo máximo da barbárie humana”.

Neste dia evocamos todas as vítimas do Holocausto e da ideologia nazi. Relembramos não apenas as vidas dos milhões de judeus, mas as de todos aqueles que, pelas suas origens, crenças, orientação sexual, condições físicas e opções políticas foram perseguidos, e os milhões de prisioneiros de guerra mortos pela fome, pela doença, pelo trabalho forçado”, lê-se na nota do MNE.

De acordo com o comunicado, o Governo português também homenageia a memória de todos aqueles que tiveram “a coragem de escolher fazer o que estava certo, independentemente das consequências”.

Entre nós, figuram Aristides de Sousa Mendes e os também diplomatas Carlos Garrido Sampaio e Alberto Teixeira Branquinho e o Padre Joaquim Carreira”, destaca o documento.

Segundo a nota do MNE, manter viva a memória do Holocausto, defendendo os valores da nossa sociedade democrática, liberal e inclusiva, é fundamental para que não se esqueçam os perigos que advêm da intolerância, do ódio, da xenofobia, do racismo, do antissemitismo e da discriminação.

Em 2019, Portugal tornou-se membro da Aliança Internacional para a Memória do Holocausto, reforçando o seu compromisso de promoção da educação das novas gerações sobre este tenebroso período. Educar é a melhor forma de prevenção e, também, de homenagem”, refere o comunicado.

Segundo o documento, “recordar este período negro da História da Humanidade e assegurar que se não repete é, mais do que nunca, um imperativo”.

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, participou esta segunda-feira na cerimónia do 75.º aniversário da libertação de Auschwitz, que decorre no antigo campo de concentração.

TÓPICOS