De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Lifestyle

Depois de “Carga” Bruno Gascon volta aos dramas

Ana Moreira, Miguel Borges, Vítor Norte, Lúcia Moniz, Sara Sampaio, Ana Cristina Oliveira, José Raposo, Ana Bustorff, Sara Norte, Raimundo Cosme, Tomás Alves, Oksana Tkach, Mihaela Lupu e Kim Grygierzec são alguns dos nomes que vamos encontrar em Sombra – Uma Mãe Sabe, o novo filme do português Bruno Gascon, que no ano passado estreou nas nossas salas “Carga”.

E depois de abordar o tráfico de seres humanos no seu filme estreia, Gascon volta a entrar em terreno dramático, desta vez inspirando-se em histórias de desaparecimento de crianças para um novo projeto. “Trata-se de uma ficção centrada na história de amor, coragem e força de uma mãe em busca do seu filho. O argumento foi escrito com base nas conversas que o Bruno Gascon teve com vários familiares de crianças portuguesas desaparecidas e em particular com uma mãe cuja história o influenciou profundamente”, explicou ao site c7nema a produtora Joana Domingues.

Sombra acompanha de perto a mãe (Ana Moreira) de um menino desaparecido. Esta mulher, marcada pelas incertezas, lida com essa tragédia no quotidiano, encontrando obstáculos continuos à sua busca pela verdade. Para elaborar o guião, Gascon contactou com algumas famílias que passaram pela tragédia, tendo a ajuda da Associação Portuguesa de Crianças Desaparecidas.

“Foi um processo que começou há bastante tempo pois o Bruno já tinha começado a investigar o tema ainda durante a escrita do filme “Carga'”, explicou Joana Domingues, acrescentando: “Este é um tema extremamente delicado e não existia do lado do Bruno nenhum objetivo de aumentar o sofrimento destas famílias, antes pelo contrário: o que ele pretendeu desde o início foi ouvir as suas histórias e mostrar que as pessoas que passam por um drama como este têm na verdade uma força e coragem tremendas perante todas as adversidades que se lhes apresentam. Existiu desde o início um respeito muito grande de parte a parte e o tempo que o Bruno dedicou a esta investigação foi essencial para a escrita do argumento levando a que se tenham criado relações de amizade entre ele e as pessoas que aceitaram contar-lhe as suas histórias e que apoiam este filme. Obviamente este é um tema que não deixa ninguém indiferente o que levou a que este se tenha tornado um projeto muito pessoal para todos nós: realizador, produtora, atores e equipa técnica”.

Com as filmagens marcadas para o início de setembro, o filme deverá estar concluído em 2020. A NOS vai distribuir o filme nos cinemas e a RTP possui os direitos televisivos.