De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Motores

Autoeuropa enfrenta para-arranca constante

A Autoeuropa voltou a parar a produção esta segunda-feira devido à “continuidade de escassez de componentes”, segundo uma nota da empresa de Palmela aos trabalhadores. O novo arranque está previsto para 6 de outubro.

De acordo com a informação enviada aos trabalhadores na terça-feira, a que a Lusa teve acesso, “o arranque da produção está planeado para o dia 6 de outubro (quarta-feira), às 00:00”, ou seja, depois do feriado do dia 5.

O anúncio desta nova paragem foi feito no dia em que a Autoeuropa retomou a produção, após uma paragem de três dias devido à falta de semicondutores.

Segundo a fábrica do grupo alemão Volkswagen, a “alteração ao calendário de produção está relacionada com a continuidade da escassez de componentes”, sendo o regime compensatório aos funcionários o mesmo da paragem anterior.

“Eventuais alterações serão comunicadas oportunamente”, lê-se na nota.

Face às sucessivas paragens devido à falta de componentes, desde o início da pandemia, a administração da Autoeuropa tinha já anunciado que pretende recorrer ao “programa de apoio à atividade económica” e garantir o rendimento individual de cada colaborador da empresa.

A indústria automóvel tem sido uma das mais afetadas pela falta de semicondutores, componentes que são, em grande parte, fornecidos por diversos fabricantes asiáticos, que têm mantido algumas medidas de confinamento devido à covid-19.

A fábrica de automóveis de Palmela produz atualmente os modelos MPV e T-Roc. Com mais de 5.000 colaboradores, dos quais 98% com vínculo permanente, a Autoeuropa produziu em 2020 um total de 192.000 automóveis e 20 milhões de peças para outras fábricas do grupo alemão, que representam 1,4% do Produto Interno Bruto (PIB) e 4,7% das exportações portuguesas.