De que está à procura ?

alemanha
Lisboa
Porto
Berlim, Alemanha
Lifestyle

Investigadores portugueses querem mudar a indústria automóvel

 Investigadores do Instituto de Engenharia e Sistemas de Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), no Porto, vão apresentar, na terça-feira, dia 22, o ColRobot, um robô que vai “mudar o paradigma” da indústria automóvel e aeroespacial, revelou o responsável.

Em entrevista à Lusa, Germano Veiga, investigador do Centro de Robótica Industrial e Sistemas Inteligentes do INESC TEC, explicou que, ao combinar tecnologia de ponta desenvolvida na Europa, o robô vai atuar “colaborativamente com o operador humano” durante o processo de montagem.

“O intuito deste projeto foi o desenvolvimento de robôs para operações em ambiente colaborativo, ou seja, partilhados entre o homem e a máquina”, frisou.

Segundo o investigador, o ColRobot vai ter diferentes impactos nas indústrias a que vai ser aplicado, na medida em que, na área aeroespacial é considerado como “uma das primeiras tentativas de automatização com recurso a robôs”, enquanto que na área automóvel vai permitir “automatizar operações para as quais a robótica ainda não apresentava soluções”.

No caso da indústria aeroespacial, uma atividade “dominada por operadores humanos”, o robô vai servir de “terceira mão” ao segurar no satélite enquanto o operador aparafusa os componentes no objeto, assim como vai ter “uma produção flexível” ao conseguir deslocar-se até ao armazém para “buscar as ferramentas necessárias” para determinada operação.

Quanto à indústria automóvel, o ColRobot vai conseguir entrar num veículo, neste caso especifico numa carrinha, e fazer operações de aparafusamento “ergonómicas” em simultâneo com o operador, partilhando assim o mesmo espaço.

“A ideia de que o robô vai partilhar o espaço com o operador de forma segura e eficiente vai, provavelmente, revolucionar e ter um impacto contributivo para o processo de montagem na indústria automóvel”, sublinhou.

De acordo com Germano Veiga, a segurança da operação foi “uma das barreiras quebradas”, na medida em que a presença do robô não vai interferir com a ação do homem.

O ColRobot, que foi desenvolvido pelo INESC TEC no âmbito de um projeto europeu financiado em quatro ponto três milhões de euros, vai ser apresentado e testado num veículo da Renault terça-feira, dia 22 de janeiro, nas instalações do instituto, onde vão estar representantes de instituições e empresas que fizeram parte do projeto.

À Lusa, Germano Veiga adiantou ainda que, entre este e o próximo ano, vão iniciar-se os planos para a industrialização do protótipo, assim como os planos de otimização do robô a outro tipo de veículos.

Perceba melhor como funciona o ColRobot com este vídeo: