De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Portugal

Ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol visita Portugal

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, recebe o seu homólogo espanhol, Josep Borrell, numa reunião em que abordarão as relações bilaterais, o Brexit e a Venezuela, anunciou o Ministério português em comunicado.

Segundo o comunicado, o encontro está agendado para as 15:00 no Palácio das Necessidades, em Lisboa, e abordará o seguimento das conclusões da Cimeira luso-espanhola, a saída do Reino Unido da União Europeia (‘Brexit’), as migrações e as interconexões energéticas e ainda a reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas e os interesses partilhados na América Latina, em particular a atual situação na Venezuela.

Está ainda previsto para as 16:30 uma conferência de imprensa conjunta, indica o comunicado.

Em novembro de 2018, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou em Valladolid, Espanha, que a Cimeira luso-espanhola de 2019 vai realizar-se na Guarda, em junho.

Na 30.ª cimeira bilateral, Portugal e Espanha chegaram a acordo sobre políticas de desenvolvimento das regiões despovoadas e envelhecidas junto à fronteira comum para assegurar a sustentabilidade futura dos territórios, tornando-os atrativos para viver, trabalhar e investir.

Os dois países definiram uma estratégia ibérica para desenvolver as zonas da raia, onde o despovoamento é um problema transversal nos dois lados da fronteira.

Sobre o Brexit, o parlamento britânico vai votar o adiamento da saída do Reino Unido da União Europeia (UE) para depois de 29 de março, o qual poderá ser longo se não for aprovado um acordo até quarta-feira.

Após uma maioria de 321 deputados contra 278 ter descartado na quarta-feira um Brexit sem acordo, a primeira-ministra admitiu ser inevitável um adiamento da data de saída para além de 29 de março, cuja duração pode variar.

A UE, em comunicado, declarou que os 27 estão disponíveis para “considerar e decidir por unanimidade” um eventual adiamento do Brexit, caso o Reino Unido apresente “um pedido fundamentado”.

“Os 27 decidirão dando prioridade à necessidade de assegurar o funcionamento das instituições europeias e tendo em conta as razões para o adiamento e a duração da possível extensão”, sublinhou.

Augusto Santos Silva e Josep Borrell vão ainda debater a atual crise política na Venezuela, que se agravou desde o passado dia 23 de janeiro, quando Juan Guaidó se autoproclamou Presidente interino e declarou que assumia os poderes executivos de Nicolás Maduro.