De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Portugal

Mercado 02 de Maio em Viseu torna-se autossustentável

O presidente da Câmara de Viseu anunciou que o Mercado 02 de Maio terá cobertura 100% fotovoltaica, tornando-se autossustentável e capaz de contribuir para a sustentabilidade energética dos Paços do Concelho.

“Celebrámos um contrato programa com a SRU (Sociedade de Reabilitação Urbana), que permite fazer um ‘upgrade’ (atualização) do projeto, que permitirá, não só a cobertura 100% do espaço, mas com um sistema que absorverá 95% do calor e transformá-lo em energia”, anunciou Almeida Henriques.

O autarca falava ao final da manhã após a reunião do executivo, na qual apresentou esta solução que foi estudada, “ao longo dos últimos três meses”, para esta praça no centro da cidade que foi reabilitada em 2002, num projeto de Siza Vieira.

“Todo o Mercado 02 de Maio será autossustentado, não gastará energia, porque a produzirá para consumo e o que esperamos desta produção também nos permitirá abastecer o edifício das Águas de Viseu (…) e ainda sobrará, em alguns momentos, para o edifício do próprio município”, anunciou.

Com esta opção, de acordo com o autarca, a cobertura será total e não apenas parcial, como foi outrora sugerido.

A obra, que tem um projeto desde 2016, será financiada pelo PEDU (Plano Estratégico do Desenvolvimento Urbano), da comunidade europeia, em 85%, sendo os restantes 15% do orçamento da autarquia, num investimento superior, “pelo menos, a um milhão de euros”.

“Não é só a cobertura, também vamos por escadas rolantes, um elevador panorâmico, vão ficar dois restaurantes, substituição dos pisos, ou seja, uma requalificação geral do espaço”, explicou o autarca, que prometeu “até setembro ter o projeto aprovado para dar início à construção”.

Também em conferência de imprensa, o vereador socialista disse aos jornalistas que a oposição votou contra, “não pela opção ambientalista, porque concorda com as soluções ambientalmente corretas e sustentáveis”, mas sim por “desconhecimento do projeto”.

Pedro Baila Antunes considerou que pode “aparecer ali um mamarracho que pode comprometer a obra de Siza Vieira e, ao votar favoravelmente nesta cobertura”, explicou, o PS estaria “a dar carta branca” ao executivo para uma obra “que é desconhecida”.

O vereador adiantou também pediu ao presidente da Câmara que “apresentasse um relatório de contas da Viseu Marca”, uma vez que esta empresa municipal “tem aquisição e fornecimento de serviços externos em mais de um milhão de euros em 2018” e a oposição “desconhece os fornecedores e o tipo de fornecimentos”.