De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Europa

Empresa portuguesa inova na gestão da temperatura em calçado profissional

As novas soluções tecnológicas CCS+ e Thermicc, mereceram atenção máxima dos visitantes do stand da empresa LAVORO em Dusseldorf, na Alemanha. As vantagens no domínio da gestão da temperatura do pé em contexto laboral representam uma revolução no mercado do calçado profissional.

Desenvolvidas em parceria com o Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes (CeNTI), que tem sede em Famalicão, estas inovações da LAVORO serão integradas nos seus novos modelos de calçado profissional.

O Thermicc é um sistema ativo, com dispositivos termoelétricos impressos, para aquecimento e refrigeração, totalmente integrado na palmilha. Com uma espessura reduzida (2-4 µm), aquece até 40 º C em 2,5 minutos.

O CCS+ realça as propriedades naturais da cortiça, poderoso biomaterial que a Lavoro incorpora, há muito, como camada intermédia entre a sola e a palmilha dos seus modelos de calçado profissional. Para além de regular a temperatura no interior do calçado e de conferir um conforto extra ao utilizador porque favorece a criação de uma espécie de impressão plantar que torna mais natural a adaptação do pé ao calçado, esta nova versão do Clima Cork System apresenta propriedades anti-estáticas melhoradas e prevê a libertação de fragrâncias, que minimizam os odores característicos do calçado utilizado.

«Como a termografia já comprovou, a temperatura corporal em geral, e a do pé em particular, é muito relevante para o conforto emocional, sendo capaz de interferir na performance profissional, e a sua gestão revela-se particularmente sensível em pés afetados por patologias como diabetes mellitus, a insuficiência venosa ou as dermatomicoses», afirma Ana Rita Pedrosa, coordenadora técnica do SPODOS – Foot Science Center, o departamento de investigação podológica e biomecânica da LAVORO.

Na feira foi ainda apresentado o reforço da gama de produtos da marca LAVORO no domínio das palmilhas e das meias técnicas. No segundo domínio, a oferta da marca inclui produtos com diferentes materiais e tecnologias de produção para responder a diversos desafios. Destacaram-se as soluções em ião prata e bambu. A prata, em virtude das suas propriedades anti-bacterianas. A fibra de bambu, que tem naturais propriedades anti-microbianas e desodorizantes, favorece o conforto do pé e beneficia a redução do peso do calçado profissional, por ser mais leve que outros materiais mais comuns no fabrico de palmilhas.

Estas novas funcionalidades reforçam a qualidade e a distinção do calçado profissional LAVORO, agora também detentor das novas garantias Very High Quality, «que asseguram a conformidade dos mais diversos modelos em relação a indicadores como o conforto, a respirabilidade, a temperatura e a adequação dos materiais utilizados às exigências dos ambientes de trabalho», explica Teófilo Leite, presidente do conselho de administração da ICC – Indústrias e Comércio de Calçado, SA, que detém a marca LAVORO.

No stand 4C57, batizado de 1872, ano a que remontam os primeiros negócios da família Ribeiro Leite no universo do calçado, a LAVORO marca presença, desde há 32 anos, pela 16ª vez consecutiva, na A+A, tida como a maior feira mundial de equipamentos de protecção individual.

As inovadoras versões de modelos de sucesso, como o LAVORO TT, o LAVORO CUP ou o Energy, bem como os novos modelos da gama LAVORO Woman revelaram-se entre os mais estimados pelos visitantes, que manifestaram uma clara preferência por modelos mais complexos no domínio do design, da combinação de materiais e das funcionalidades tecnológicas. É o caso também da Combat Boot, “army aproved” pelo Exército Português, e desenvolvida no âmbito do programa «Sistemas de Combate do Soldado», dinamizado pelo CITEVE.

A empresa

A ICC – Indústria e Comércio de Calçado, SA, que detém a marca Lavoro, é, há 33 anos, um dos mais reputados produtores europeus de calçado profissional, de homem ou de senhora, para diversos sectores: indústria, construção, logística, transportes, manutenção, eletrónica, extração de minérios, saúde, exploração florestal e forças militarizadas. Exporta 80% da produção para mais de 50 mercados e afirma-se como uma indústria de serviço. Foi a primeira empresa do sector do calçado profissional a deter certificação em Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI). Visando o aconselhamento do calçado adequado a cada ambiente de trabalho, criou o SPODOS – Foot Science Center e estabelece regularmente parcerias com centros de investigação e universidades. Detém uma subsidiária na Alemanha e, para 2019, estima uma faturação de 16 milhões de euros.

#portugalpositivo