De que está à procura ?

Portugal

Consumo de bacalhau deverá manter-se forte no Natal

© DR

O consumo de bacalhau em Portugal tem vindo a recuperar do impacto provocado pela inflação, esperando-se, assim, números “fortes” para este Natal, à semelhança do que tem acontecido nos anos anteriores, avançou o Norwegian Seafood Council (NSC) à Lusa.

“Neste momento, o consumo está num bom nível, mas para explicarmos o agora temos que olhar para o que aconteceu desde agosto do ano passado, com a inflação e o aumento de preços dos alimentos. Foi muito difícil, mas agora vemos que o comércio está mais normal, mais estável”, afirmou o diretor do NSC para Portugal, Trond Rismo, em entrevista à Lusa.

Assim, o consumo de bacalhau em Portugal deverá manter-se “forte” na época do Natal.

Segundo as estimativas do NSC, o consumo de bacalhau no mês de dezembro vai representar entre 25% a 30% do total.

Nos últimos anos, os portugueses têm comido, só na véspera de Natal, entre quatro e cinco toneladas deste peixe.

“É também de destacar o consumo ‘per capita’ [por pessoa]. No ano passado, tivemos uma redução de 3%, mas este ano estamos a voltar para um patamar normal e calculamos que este ronda os 15 a 16 quilogramas de bacalhau, o que é um número incrivelmente alto”, apontou.

O NSC mantém-se expectante com o comportamento do consumo no próximo ano, após o fim do IVA zero para um cabaz de alimentos, uma medida adotada pelo Governo para travar o impacto da escalada de preços.

Ainda assim, Trond Rismo garantiu que o bacalhau continua a ser um produto muito importante, sobretudo para os retalhistas.

“No ano passado não vi muitas promoções na altura do Natal, só nas duas semanas anteriores. No início do primeiro semestre deste ano, sobretudo durante o verão, já vi algumas promoções. Acredito que os retalhistas estão a fazer isto para atrair os clientes. Eles querem que o consumo regresse”, sublinhou.

Só para a campanha de Natal em Portugal, o NSC dedicou aproximadamente 600.000 euros.

De acordo com os dados do NSC, até setembro, as exportações de bacalhau da Noruega para Portugal, fresco, congelado e salgado recuaram 10% face a 2022, mas o preço aumentou 22%.

Só em setembro, verificou-se um decréscimo de 2% em termos de volume e um agravamento de 9% no preço.

Neste mês, o total das exportações de produtos do mar atingiram quase 16.000 milhões de coroas norueguesas (cerca de 1.391 milhões de euros), quando no mesmo mês de 2022 estavam em 14.610 milhões de coroas norueguesas.

TÓPICOS

Siga-nos e receba as notícias do BOM DIA