De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

O que é a perturbação de pânico?

As Perturbações de Ansiedade, muito frequentes na nossa sociedade (35% em amostras comunitárias e 60% em cardiologia), caracterizam-se por ataques de pânico – uma intensa apreensão, medo ou terror de início súbito e sensação de catástrofe iminente com alguns destes sintomas:

  1. palpitações
  2. suores
  3. tremores
  4. dificuldade em respirar
  5. sensação de sufoco
  6. desconforto/dor no peito
  7. náuseas/mal-estar abdominal
  8. tonturas/sensação de cabeça oca
  9. desrealização/despersonalização
  10. medo de perder o controle/enlouquecer
  11. medo de morrer
  12. dormências
  13. sensação de frio/calor

Entre as Perturbações de Ansiedade temos:

  1. a Fobia Social (ataques de pânico situacionais)
  2. a Fobia Específica (ataques de pânico situacionais)
  3. a Perturbação de Ansiedade Generalizada (ataques de pânico situacionalmente predispostos)
  4. a Perturbação de Pânico (ataques de pânico inesperados)

A Perturbação de Pânico, por sua vez, dividem-se consoante a sua relação com a Agorafobia – ansiedade ou evitamento de locais/situações cuja fuga possa ser difícil/embaraçosa ou de difícil ajuda:

  1. Perturbação de Pânico sem Agorafobia
  2. Perturbação de Pânico com Agorafobia
  3. Agorafobia sem Perturbação de Pânico

Apesar da possibilidade de alguma predisposição genética, a protecção/controlo/preocupação/exagero familiar em excesso pode promover um nível de stress que conduz a um nível de ansiedade desencadeador da Perturbação de Pânico.

O psicólogo pode ajudar a pessoa com a Perturbação de Pânico pela dessensibilização, trabalhando quer ao nível cognitivo (compreender as sensações físicas) quer ao nível comportamental (encorajar a exposição às situações/actividades de evitamento).

O psiquiatra pode ajudar a pessoa com a Perturbação de Pânico com medicação anti-depressiva.