De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Motores

Honda Civic Sedan: um familiar dinâmico

Estivemos ao volante do Honda Civic Sedan com a motorização diesel 1.6 I-DTEC, um automóvel espaçoso, confortável, fiável, económico e que causa muitas duvidas a quem passa. É mesmo um Civic? Houve quem até o comparasse a um Accord dado o seu tamanho. Apesar do aspeto mais familiar, este Honda Civic Sedan deixou intacto o bom comportamento dinâmico e o estilo desportivo.

A carroçaria ficou mais comprida, a largura mantém-se e perderam-se uns milímetros de altura; face à versão hatchback o Sedan tem mais 10 centímetros.

O estilo exterior mantém-se semelhante, embora mais conservador e menos desportivo do que a versão hatchback, com uma traseira mais comprida e saliente, mas o design das óticas dianteiras e farolins é o mesmo.

A grelha é cromada, assim como os puxadores das portas e a moldura dos vidros, nesta versão Executive.

A Honda quis voltar aos tempos em que o Civic tinha versões sedan. Alguém se lembra dos Honda Civic Sedan da quinta geração com um interessante motor 1.6 VTI de 160cv? Ou mesmo do Honda Civic da segunda geração que também tinha uma versão três volumes? Pois é, essas versões estavam praticamente extintas desde 2006, a altura em que deixou de ser produzida a sétima geração do Honda Civic que mantinha a três versões hatchback, coupé e sedan.

No interior a qualidade de construção e de materiais é boa, o design é moderno e desportivo e há espaço para dar e vender. É possível viajar quase de perna cruzada nos lugares dianteiros e traseiros, embora não seja conveniente quando desempenhamos a tarefa do condutor…

A bagageira também não desilude, uma vez que cresceu mais de 100 litros face à versão hatchback, contando agora com 519 litros de capacidade.

Há no habitáculo do Honda Civic materiais com menor qualidade, como é normal neste segmento. No caso do Civic estes estão colocados maioritariamente abaixo da cintura, o que dá uma perceção mais otimista da qualidade dos interiores.

A designação “ouro sobre azul” vai para os assentos que tem um excelente apoio lombar e oferecem um conforto digno de registo.

A versão “Executive” está dotada de alto nível de equipamento, com carregador sem fios, sensores de chuva e luminosidade, chave mãos livres, travão de estacionamento elétrico, espelhos das portas aquecidos com regulação eléctrica, ar condicionado automático dupla zona, câmara traseira de auxílio ao estacionamento com diferentes visualizações, espelho retrovisor interior com escurecimento automático, teto de abrir em vidro, chave mãos-livres e ainda assentos aquecidos nos lugares dianteiros e traseiros.

A posição de condução é de excelência, com todos os comandos “à mão” e focados no condutor. A configuração do assento e coluna de direção permitem adotar facilmente uma postura de condução mais confortável ou mais desportiva, sem sofrer de desconforto.

O sistema de navegação e multimédia é excelente. Tem uma óptima apresentação e funções a perder de vista, num ecrã táctil de sete polegadas com rádio AM/FM/DAB, Apple CarPlay, Android Auto, rádio via internet, aplicação Aha e ainda browser para acesso à internet. Continua com duas entradas USB, HDMI e está ligado a 11 altifalantes de elevada potência. Este sistema requer alguma habituação, devido ao grande número de funções e aplicações disponíveis.

O painel de instrumentos é colorido e completo, as informações aparecem de forma clara e são bastante completas, uma vez que para além dos tradicionais dados de viagem e consumos, temos dados da navegação, multimédia, telefone e sistemas de segurança.

A condução do Civic Sedan permanece semelhante à do Civic “normal”: a direção é direta, a caixa de velocidades é bem escalonada e tem um dos melhores manuseamentos do segmento. O chassi e a afinação de suspensão oferecem ao Honda Civic um comportamento formidável em curva e em qualquer situação, seja a ritmos mais despachados ou em viagens mais calmas, onde este consegue reunir o melhor dos dois mundos, sendo sempre um automóvel confortável e eficiente em qualquer situação.

O motor 1.6 I-DTEC é provavelmente um dos melhores motores do segmento. Tem quatro cilindros, 120cv de potência 300Nm de binário e é tão redondo que às vezes até nos esquecemos que estamos a conduzir um diesel. É um motor disponível e económico que é capaz de oferecer andamentos vivos e tornar o carro ainda mais atrativo, para quem ainda tem o diesel como a sua principal opção.

Os consumos no nosso ensaio rondaram os 5,5 litros a cada 100km, percursos mistos com e sem trânsito. Contudo, sabemos que estes consumos podem baixar com o pé direito em posição mais vertical. Em termos de performance, temos uma aceleração dos 0 aos 100km/h em cerca de 10 segundos e uma velocidade máxima de 200km/h.

Na segurança, nada falta ao Honda Civic Sedan, com ajuda ao estacionamento, sistema de ajuda ao arranque em subida, aviso de transposição involuntária de faixa, aviso de fadiga do condutor, travagem ativa de emergência, entre outros. Nos testes Euro NCAP o Civic obteve as cinco estrelas com 92% na proteção dos adultos, 75% na proteção das crianças, 75% na proteção dos peões e 88% nas ajudas à condução.

MAIS CARROS EM CAR ZOOM