De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

Uma pergunta talvez descabida

Se olhamos para Portugal é notório o facto de produzir relativamente bastantes políticos para altos cargos internacionais. Certamente um motivo para distinção, mas também para nos questionarmos internamente.

Recorde-se Constâncio no Banco Central Europeu, Guterres como chefe da ONU e Durão Barroso que preside agora à Aliança Global para as Vacinas.

Seria legítima a pergunta: Porque será que quem fracassa nos negócios de Estado em Portugal tem tanto sucesso no mundo?

De facto, a política portuguesa não consegue tirar Portugal do impasse económico em que sempre tem vivido, em relação a outras economias da Europa.

Portugueses emigram para melhorar o seu estado de vida e enriquecer outros povos e, por outro lado, políticos portugueses são chamados a ocupar cargos internacionais!

Será que o fracasso na gestão da política de Portugal é motivo de recomendação ou de prémio para os interesses internacionais?

António Justo

 

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.