De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

Uma história de polvo

“É tão manifesto que fica secreto.”

Sherlock Holmes

O Polvo à Lagareiro provavelmente surgiu do Bacalhau à Lagareiro, a única diferença é que o bacalhau não sofre tanto como o desgraçado do polvo. 

A começar pela sua fama entre os seres vertebrados, o  polvo é um símbolo de poder, que tudo agarra, por isso, todos os cabeças da máfia são chamados de polvo qualquer coisa, qualquer coisa tipo o mais recente em que Ana Gomes comenta, sobre o caso do Vieira ex-presidente do Benfica: ” Este caso tem por trás um polvo bem gigante”.

O próprio instinto de defesa do polvo não o ajuda na fama que ganhou, porque apesar de ser um bicho poderoso e forte, também tem medo, porque neste mundo, por maior e mais poderosos que sejamos, vamos ter sempre alguém por de trás de nós com o dobro do nosso tamanho, então, o polvo quando é atacado pelos seus predadores lança-lhes uma nuvem de tinta preta, que tem a função de cortinado que o ajuda a esconder, a se camuflar.

Resumindo, quando um escândalo mete polvo, é porque a coisa é complicada.

Apesar de se conseguir esconder em frinchas e lugares reconditos, o polvo não nos escapa, e não escapa à nossa capacidade de transformar tudo o que mexe numa requintada refeição. 

Para matar o desgraçado, bem, tem que se lhe diga, o neozelandês Josh James sugere que para matar o polvo deve-se agarrar o bicho e mordê-lo entre os olhos, para assim lhe arrancar o cérebro. Eu acho nojento!

A maneira portuguesa é bem menos dramática, durante a noite saímos para uma praia rochosa, e começamos com uma lanterna a procurar o tal entre as frinchas nas rochas. Assim que os vimos metemos a mão ao dito cujo que vai lutar tentando agarrar-se com os tentáculos na nossa pele, assim que agarramos o bichano batemos com a cabeça dele contra as rochas. 

Bem, depois disto fico-me por aqui… 

Receita

Ingredientes:

1,5 kg de polvo

1 cebola

2 folhas de louro

6 dentes de alho

1/2 pimento vermelho

1/2 pimento amarelo

1/2 pimento verde

1 kg de batatas pequenas

1 ramo de salsa

1 colher de chá de vinagre

sal

pimenta preta em grão

Confeção:

Ponha o polvo, descongelado, numa travessa de barro com a cebola, o louro, alho, os pimentos cortados, bastante azeite e pimenta moída. Tape a travessa com folha de alumínio e leve ao forno a 200°C durante 1 hora e 30 minutos. Entretanto cosa as batatas com pele, em àgua e sal. Assim que estiverem cozidas, dê – lhes um murro e leve ao forno numa travessa com um fio de azeite e sal. 

Passado 1 h , tire a folha de alumínio da travessa do polvo e leve mais 30 minutos a lourar no forno à mesma temperatura. Assim que passar os 30 minutos, corte o polvo e sirva acompanhado das batatas e de salsa picada. 

Dica: NUNCA PONHA SAL NO POLVO!

Dévora Cortinhal

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.