De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Desporto

Treinador português quer fazer história na Champions

O treinador do PAOK, Abel Ferreira, assumiu esta segunda-feira o “objetivo” de atingir, pela primeira vez, a fase de grupos da Liga dos Campeões de futebol, embora admitindo que o Benfica é favorito para o embate da terceira pré-eliminatória.

“O Benfica é favorito, não vamos esconder isso, mas o PAOK quer fazer história, tem o objetivo de passar à próxima fase e é isso que vamos procurar fazer”, afirmou o técnico português, na conferência de imprensa de antevisão da partida de terça-feira, em Salónica.

Depois de ter eliminado o Besiktas, na segunda pré-eliminatória, a formação grega está decidida a ultrapassar o Benfica nesta eliminatória a um só jogo, para seguir para os ‘play-offs’ e ficar ainda mais próxima de uma inédita presença na fase de grupos da ‘Champions’.

“Temos a mesma pressão que tínhamos contra o Besiktas. Aliás, agora até aumentei a pressão, porque [a qualificação] deixou de ser um sonho e passou a ser um objetivo. Quem representa o PAOK tem de estar preparado para vencer qualquer adversário e em qualquer estádio”, vincou o antigo técnico do Sporting de Braga, de 41 anos.

Embora considere que o Benfica “tem um bom treinador, bons jogadores e fez um dos maiores investimentos da história”, Abel Ferreira assegurou que os ‘encarnados’ vão ter pela frente “uma equipa com muita ambição e disciplina”, reforçando: “Enquanto treinador, sempre fui habituado a fazer mais com menos. Foi assim que cresci como treinador.”

O sérvio Andrija Zivkovic, que há poucas semanas reforçou o PAOK, depois de rescindir contrato com o Benfica, mereceu elogios de Abel Ferreira, que se regozijou com a chegada de “um jogador de muita qualidade” ao plantel da formação helénica.

Por outro lado, o treinador lamentou a ausência de público nas bancadas do estádio Toumba, face à pandemia de covid-19, salientando que “a força” do clube de Salónica “vem muito também dos seus adeptos”, que acrescentam “mais 50% de motivação, ambição e exigência” à equipa.

Já o defesa José Ángel Crespo antecipou “um jogo difícil”, perante um Benfica que é “uma grande equipa, agressiva, que faz muita pressão quando não tem a bola, com um grande jogo entre linhas e com muita qualidade individual”.

“Conhecemos a equipa um pouco melhor por termos jogado com eles há dois anos [nos ‘play-offs’ da Liga dos Campeões], mas eles também mudaram muitos jogadores. É uma grande equipa, mas vamos dar o nosso melhor”, disse o espanhol.

Benfica e PAOK jogam na terça-feira, em Salónica, a partir das 19:00, num encontro que será dirigido pelo alemão Felix Brych.

O vencedor desta eliminatória, que será decidida num só jogo, apura-se para os ‘play-offs’ da Liga dos Campeões, no qual terá pela frente os russos do Krasnodar, já em eliminatória disputada a duas mãos.