De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Lifestyle

Sono, exercício e alimentação são segredos para gerir ‘stress’

O especialista em fisiologia José Soares afirmou que preparar o sono, fazer exercício, ter momentos de relaxamento e alimentação equilibrada são algumas das atividades que podem ajudar a gerir o ‘stress’ e pressão causados pela pandemia da covid-19.

Reunido numa videoconferência para abordar o impacto que a pandemia tem causado na população portuguesa, especialmente ao nível do ‘stress’ e ansiedade, José Soares, professor catedrático em fisiologia da Universidade do Porto, afirmou que “a aceitação é fundamental”.

“Temos de aceitar que estamos numa fase difícil, compreender o que estamos a sentir e perceber que é normal”, salientou o fisiologista, tentando dar resposta às dúvidas de alguns dos participantes.

“Como lidar com a pressão?”, “Como gerir o ‘stress’ do dia-a-dia e a rotina?”, “De que forma podemos impactar a nossa performance?”, foram algumas das questões-chave da sessão.

Segundo José Soares, o isolamento, a pressão social, o teletrabalho, o medo, a incerteza e a falta de referências são fatores que contribuem para o fraco desenvolvimento cognitivo e, consequentemente, deixam o “cérebro confuso”.

“O Homem é um ser de colaboração, não foi feito para estar isolado. Ao longo deste tempo, nós deixamos de ter referências e o cérebro fica muito confuso quando não tem referências”, defendeu.

Nesse sentido, José Soares salientou quatro atividades fundamentais para melhorar a função cognitiva daqueles que, por exemplo, estão em teletrabalho: o exercício, a alimentação, o sono e o relaxamento.

No que ao exercício concerne, o fisiologista defendeu a importância das pessoas “se mexerem” ao longo do dia, uma vez que a atividade tem um efeito imediato no cérebro e melhora a sua função cognitiva.

“Sit for 60, move for three, sente-se por 60 minutos, mova-se por três minutos”, foi o lema que recomendou.

Paralelamente, defendeu a importância da alimentação e de “não cair na tentação” da ‘confort food’, de que são exemplo os bolos, chocolates e ‘fast food’.

De acordo com o fisiologista, as perturbações do sono têm sido as razões mais apontadas para a falta de concentração e exaustão das pessoas, por isso, recomendou a “preparação do sono”, como por exemplo, através do exercício, mas sem recorrer a dispositivos eletrónicos, uma vez que “despertam o cérebro”.

Por fim, José Soares salientou a necessidade de se fazerem “pausas ou intervalos” durante o tempo de trabalho, algo que defendeu ter “um impacto muito grande nas decisões”.

“Precisamos de nos rir, porque temos como que uma nuvem que ocupa espaço e sem querer, estamos a ser ‘bombardeados’ com isto [informação sobre a pandemia], e subtilmente, estamos preocupados”, aconselhou.

A videoconferência, dedicada ao tema “Promover o bem-estar mental e boas performances em tempos da covid-19”, além da participação de José Soares, contou com a moderação de Helena Canário, nutricionista na Nestlé.