De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Lifestyle

Seis milhões de euros transformam Convento do Carmo em hotel

A recuperação e transformação do Convento do Carmo, em Moura (Beja), num hotel de quatro estrelas foi adjudicada à gestora do hotel Convento do Espinheiro, de Évora, num investimento de seis milhões de euros.

O convento foi concessionado pelo Governo, por 50 anos para fins turísticos, à Sociedade de Promoção de Projetos Turísticos e Hoteleiros (SPPTH), no âmbito do Programa REVIVE, revelou esta quarta-feira, em comunicado, o gabinete do ministro Adjunto e da Economia.

Este torna-se, assim, “no 9.º imóvel adjudicado” no âmbito do REVIVE, pode ler-se no comunicado.

O REVIVE é um programa conjunto dos ministérios da Economia, da Cultura e das Finanças, em colaboração com as autarquias abrangidas, que prevê ceder imóveis públicos a privados para serem recuperados e usados para atividades económicas.

A SPPTH, que é a entidade gestora do Convento do Espinheiro Historic Hotel & Spa, unidade de cinco estrelas a poucos quilómetros de Évora, pretende fazer “renascer” o Convento do Carmo como um hotel de quatro estrelas, com cerca de 50 quartos.

“O novo hotel tem abertura prevista para 2022” e, para a recuperação do imóvel, a sociedade concessionária prevê investir “cerca de seis milhões de euros”, segundo o gabinete do ministro Adjunto e da Economia.

Edificado em 1251, o Convento do Carmo foi o 1.º da Ordem Carmelita fundado na Península Ibérica. No século XVI, sofreu transformações profundas, tendo sido construída, nessa altura, a igreja, os claustros e as capelas, resumiu o Governo.

“Foi deste convento que saíram os monges que fundaram o Convento do Carmo, em Lisboa”, frisou.

O imóvel situa-se no centro histórico de Moura, próximo do castelo e da biblioteca municipal, e “o conjunto, que engloba a igreja e o claustro do convento, está classificado como imóvel de interesse público desde 1944”.

No âmbito do REVIVE, que, através da valorização e recuperação do património sem uso, visa reforçar a atratividade dos destinos regionais e o desenvolvimento de várias regiões do país, já foi lançado, até ao momento, um total de 18 concursos no país, de acordo com o Governo.

“Atualmente, estão abertos os concursos para a concessão do Mosteiro de Lorvão, em Penacova, do Castelo de Vila Nova de Cerveira e do Forte da Ínsua, em Caminha”, destacou.

Os “próximos concursos” a lançar vão abarcar o Mosteiro de Travanca (Amarante), o Santuário do Cabo Espichel (Sesimbra) e o Forte da Barra de Aveiro (Ílhavo), acrescentou o Governo.