De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

Sei porque regressaste

queres viver os teus derradeiros dias
à sombra dos meus cabelos negros
queres morrer no diospireiro
onde nutrias o teu sangue
queres ser sepultado no barro do meu ventre
queres que as minhas lágrimas
sejam o teu réquiem
regressaste porque
queres no teu túmulo, diárias,
as flores dos meus olhos verdes
queres gravada, no teu epitáfio
a longa aurora das minhas palavras
queres, no silêncio da morte,
enquanto eu viver, incessante,
o meu coração a chamar-te

dm