De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Lifestyle

Se andar pelo Porto não perca estes concertos gratuitos

A celebração do Património Cultural através da música está de regresso à Área Metropolitana do Porto, com a realização, entre 1 e 7 de outubro, da terceira edição do evento “Sons no Património”. A iniciativa reforça este ano a aposta numa programação artística totalmente nacional, materializando um esforço coletivo e contínuo de apoio aos setores artísticos, culturais e turísticos, muitos deles severamente castigados pelo contexto pandémico.

A organização privilegiou a realização de concertos ao ar livre, todos gratuitos, e prevê também a transmissão em direto de todos os concertos nos canais digitais da AMP.

Francisco Sales, Miguel Xavier, Ricardo Ribeiro, Miguel Amaral & Yuri Reis, Afonso Cabral, Daniel Pereira Cristo, Manuel Linhares, Helder Moutinho, Marco Rodrigues são os artistas convidados para este evento em rede, que conta ainda com a participação dos projetos musicais Retimbar, Lisboa String Trio com participação de Cristina Branco, Birds are Indie, First Breath After Coma e Rua da Lua.

A generalidade dos concertos decorre ao ar livre e ao vivo, à exceção das atuações em Gondomar e Vale de Cambra, municípios que optaram apenas pela transmissão via digital. A organização dos concertos com público segue todas as recomendações determinadas pela Direção Geral de Saúde, exigindo-se, adicionalmente, o cumprimento do protocolo sanitário em vigor.

Embora totalmente gratuitos, o acesso aos de forma presencial à grande maioria dos concertos está sujeito a pré-reserva e ao levantamento antecipado de bilhetes de ingresso, de acordo com as regras de cada município participante. Nesta edição, todos os concertos serão também transmitidos em direto nos canais digitais da AMP, no sentido de permitir uma fruição alargada e inclusiva do cartaz de 2020, cujas propostas artísticas foram pensadas e adequadas a cada espaço, proporcionando novas leituras e experiências de cada lugar, de cada comunidade.

“A música ressurge nesta edição como veículo de aproximação das pessoas ao património, que cada vez mais se quer aberto, acessível e valorizado, num exercício ininterrupto de profundo compromisso com a democratização do acesso à arte, à cultura, à história e ao património ancestral”, adianta Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da AMP, sublinhando ainda que “este evento anual de celebração é um convite alargado à fruição gratuita dos espaços icónicos de cada comunidade, na companhia de muitos dos melhores talentos da música portuguesa”.

Sons no Património arranca em Oliveira de Azeméis e Maia

O município de Oliveira de Azeméis dá o pontapé de saída para a terceira edição do Sons no Património, que arranca no dia 1 de outubro. A Capela Nossa Sra. da Ribeira é o primeiro lugar patrimonial da área metropolitana  a apostar na divulgação de espaços emblemáticos do território e de um leque diverso de músicos nacionais, recebendo, às 18h30, o virtuoso guitarrista Francisco Sales que apresenta  “Miles Away”, o seu mais recente disco inspirado nas suas viagens e onde mistura, em doses bem equilibradas, o jazz e música ambiental. A viagem hipnótica pelo seu talento, e que já lhe valeu abertura de concertos com  Rodrigo Leão, Avishai Cohen ou Diana Krall, renova-se no dia 5, às 16h30, em Gondomar, onde o guitarrista português da famosa banda internacional “Incógnito” se apresenta na Quinta da Bandeirinha. No mesmo dia, às 21h30, no município da Maia há ainda concerto com Miguel Xavier, na Quinta da Caverneira, onde o jovem fadista promete conquistar a plateia com a sua singular forma de cantar o fado tradicional, homenageando aqueles com quem aprendeu, nomeadamente Manuel Almeida, Fernando Farinha, Alfredo Marceneiro e António Rocha.

No dia seguinte, Ricardo Ribeiro dá continuidade à viagem musical pelo património metropolitano, “Respeitosa Mente”. Às 21 horas, o artista atua no Auditório Municipal, Junto à Igreja Matriz, em Vila do Conde e, tal como sugere no título do seu álbum mais recente, brindará o público – presencial e online – com uma fusão especial que junta os seus novos fados e um certo toque de jazz. Ali próximo, em Santo Tirso, a dupla Miguel Amaral & Yuri Reis transforma a Igreja Românica de Roriz no palco do concerto, onde, a partir das 22h30, a guitarra portuguesa de Miguel Amaral e violão de sete cordas do brasileiro Yuri Reis irão evocar séculos de história e deixar testemunho de uma afinidade intemporal.

No sábado, dia 3, os concertos arrancam à tarde, com o primeiro concerto agendado para as 16 horas, na Casa Marta Ortigão Sampaio, no Porto, assinado pelo músico Afonso Cabral. O ex-vocalista da banda “You can’t win, Charlie Brown” vai fazer entoar pelos jardins da Casa Marta Ortigão Sampaio um estilo de composição que motivou artistas como Cristina Branco e Salvador Sobral a interpretar temas da sua autoria. Às 18h30, o cavaquinho de Daniel Pereira Cristo invade o Terreiro de Santa Mafalda, no Mosteiro de Arouca, onde o músico, cantautor e multi-instrumentista apresentará um repertório repleto de música de raiz e instrumentos tradicionais. Espera-se, do vencedor do Prémio Carlos Paredes em 2018, um concerto único, tal como os que tem levado a diversos palcos portugueses e estrangeiros, que conquistam pela harmonização da mais genuína identidade lusitana com rasgos musicais de contemporaneidade.

À noite, o evento prossegue no município de Paredes com uma parceria peculiar entre Lisboa String Trio e a fadista Cristina Branco. Na Igreja de São Tomé de Bitarães, pelas 22h30, a guitarra clássica, guitarra portuguesa e contrabaixo juntam-se à voz feminina para um concerto que se espera inesquecível.

A programação de domingo inicia-se com Manuel Linhares, um dos artistas já bem conhecido do “Sons no Património” que, este ano, aceitou o repto do município de Vale de Cambra de apresentar-se num concerto sem plateia física. O espetáculo, daquele que é considerado um talento incontornável entre as raras vozes do jazz português, será  transmitido exclusivamente através da internet, no domingo, a partir das 14h30, tendo como palco a Igreja de São Pedro de Castelões. O município optou por este formato para evitar a concentração de pessoas no regresso à programação cultural.

Em Santa Maria da Feira, às 16 horas, o Mercado Municipal recebe a banda portuguesa Birds Are Indie, que aproveita os Sons no Património para dar a conhecer temas recentes do seu novo álbum “Migrations – The Travel Diaries”. Segue-se, às 17h30, em Vila Nova de Gaia, a atuação da dupla luso-brasileira Miguel Amaral & Yuri Reis que no antigo convento Espaço Corpus Christi renova o espetáculo realizado em Santo Tirso com sonoridades vibrantes, quentes e entusiasmantes.

Por volta das 18h30, o registo muda de tom com a atuação de Helder Moutinho, no Museu Quinta de Santiago, em Matosinhos. O fadista, um dos mais carismáticos e genuínos da atualidade, partilha nos jardins daquele espaço único os segredos, códigos e mistérios deste género musical, que recebeu dos seus familiares e dos grandes mestres que se cruzaram na sua vida. O serão prossegue em ambiente de Fado, com o concerto de Marco Rodrigues, no Museu Municipal de Espinho, que apresenta, a partir das 21 horas, o seu novo disco “Copo Meio Cheio”, sucessor de “Fados do Fado”, nomeado para um Grammy Latino. Em palco, acompanhado por um irrepreensível trio de fado e um set de bateria e percussão, Marco Rodrigues desfilará ainda muitos dos sucessos que marcaram a sua carreira, como “Homem do Saldanha” e “Rosinha dos Limões” e alguns fados tradicionais incontornáveis.

A banda First Breath After Coma tem a responsabilidade de encerrar o cartaz do penúltimo dia do Sons no Património, em S. João da Madeira, onde, a partir das 22h30, darão um concerto que se espera absolutamente memorável, no Largo dos Paços da Cultura.  A banda, que lançou recentemente o álbum “NU”, considerado uma revolução na sonoridade deste projeto ímpar do panorama musical nacional, prometem mostrar em S. João da Madeira que são um caso único, com uma margem de progressão impressionante e uma capacidade de surpreender absolutamente irresistível.

Francisco Sales e Rua da Lua em Gondomar e Valongo

A edição de 2020 do Sons no Património continua no dia 5 de Outubro nos municípios de Gondomar e Valongo. Francisco Sales sobe ao palco às 16 horas, na Quinta de Bandeirinha, em Melres, para um espetáculo transmitido unicamente via digital, seguindo-se às 17h30, em Valongo, um concerto com a participação dos Rua da Lua. O Museu da Lousa acolhe um quinteto de géneses musicais distintas para um espetáculo universal que mistura as influências da cultura tradicional lusa, do Fado, da cultura pop e da eterna vontade de cantar a saudade.

Retimbrar encerra edição Sons do Património 2020, na Póvoa de Varzim

O grupo de percussão Retimbrar encerra a edição de 2020 do Sons no Património com um concerto no dia 7, às 21h30, na Póvoa de Varzim. Sob o mote do seu mais recente álbum “Viva”, o coletivo leva ao Cine Teatro-Garrett um concerto repleto de ritmos poderosos, dando a conhecer música tradicional, cultura portuguesa e até o património edificado da vila que já foi ponto de passagem de uma via romana e linha de partida de um trilho dos Caminhos de Santiago.