De que está à procura ?

Comunidades

Portugueses de Cabo Verde enviaram 7,6 milhões de euros para casa

Os imigrantes em Cabo Verde enviaram em 2019, até novembro, para os países de origem, o equivalente a uma média superior a dois milhões de euros por mês em remessas, segundo dados do banco central compilados pela Lusa.

Segundo um boletim estatístico do Banco de Cabo Verde, com dados referentes ao período de janeiro a novembro de 2019, as remessas enviadas pelos imigrantes que trabalham no arquipélago totalizaram 2.656‬ milhões de escudos (24 milhões de euros) naquele período.

Os imigrantes portugueses continuam a ser os que mais remessas enviam de Cabo Verde para o país de origem, neste caso 852,6‬ milhões de escudos (7,6 milhões de euros), nos 11 meses de 2019.

No mesmo período, os norte-americanos em Cabo Verde enviaram 290,9 milhões de escudos (2,6 milhões de euros)‬ em remessas, logo seguidos dos imigrantes do Senegal, com 288,6‬ milhões de escudos, e dos da Guiné-Bissau, com 189,5 milhões de escudos (1,7 milhões de euros).

Em todo o ano de 2018, essas remessas foram de 2.982 milhões de escudos (27 milhões de euros) e em 2017 atingiram um pico de 3.039 milhões de escudos (27,4 milhões de euros).

Segundo dados do Banco de Portugal, em 2019 entraram no país 3.604 milhões de euros em remessas de emigrantes, valor mais elevado do que o observado em 2018 (mais 1.1%). Confirma-se, assim, a tendência mais geral de crescimento registada desde 2010.

 

TÓPICOS