De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Desporto

Porto vence na Luz e deixa Benfica ao alcance do Sporting

 A I Liga portuguesa de futebol assistiu este domingo a nova mudança de líder, com o FC Porto a ganhar na Luz ao Benfica, que assim fica ao alcance do Sporting, que ganhou no Restelo e reduziu para três pontos a sua desvantagem.

Um golo do mexicano Herrera, no minuto 90, chegou para o FC Porto ganhar ao Benfica na Luz e deixar os ‘dragões’ muito perto de serem campeões nacionais de futebol, quando faltam quatro jogos para fechar a I Liga.

Com 30 jornadas, volta a haver mudança no topo da classificação e agora a vantagem é para o FC Porto, com 76 pontos contra 74 do tetracampeão nacional. Mas até mesmo Sporting de Braga e Sporting, a seis e três pontos, respetivamente, ainda têm hipóteses matemáticas de terminar em primeiro.

Em poucas horas, o Benfica não só caiu para segundo como viu o Sporting ficar a depender de si próprio para chegar ao este ano muito desejado segundo lugar, já que o terceiro posto não dará para mais que a Liga Europa.

Na Luz, o ‘jogo da época’ parecia pender para os interesses do Benfica, mesmo fazendo pouco por isso, já que o empate o favorecia. Mantinha a liderança e só tinha mais um grande obstáculo para ultrapassar, contra o Sporting, a 05 de maio.

Mas não foi assim, e em cima do minuto 90 a festa anunciada ‘morreu’, graças a um belo remate de longe do mexicano Hector Herrera, em arco, a bater Bruno Varela.

Sem o lesionado Jonas, melhor marcador do campeonato, com 33 golos, o Benfica teve mais ascendente, só que sem criar grandes ocasiões de perigo, e acabou por sucumbir ante a equipa lusa que melhor consegue ultrapassar o ambiente hostil de um jogo no Estádio da Luz.

Há 37 jornadas, desde 12 de fevereiro de 2016, que o Benfica não perdia em casa, mas outras belas séries dos ‘encarnados’ também ficaram pelo caminho neste final de tarde, como a de nove jogos a ganhar para o campeonato.

A brilhante recuperação na Liga, que na primeira volta parecia destinada a FC Porto ou Sporting, acaba aqui, mas o campeonato está longe de estar entregue e o FC Porto terá ainda, nos quatro jogos que lhe falta, de enfrentar Marítimo e Vitória de Guimarães, fora, e Feirense e Vitória de Setúbal, no Dragão.

Quanto ao Benfica, fica agora à mercê do Sporting, no que se refere ao segundo lugar. Os ‘verdes e brancos’ ganharem ao Belenenses no Restelo, por 4-3, num jogo com várias reviravoltas no marcador e com a inevitável polémica ligada às grandes penalidades.

Depois das estimulantes vitórias sobre Paços de Ferreira (2-0) e Atlético de Madrid (1-0), os ‘leões’ deram outro bom pontapé na crise, ganhando um jogo que começou a pender para os ‘azuis’ e que depois esteve empatado 3-3.

Os locais adiantaram-se através de uma grande penalidade transformada por Yebda (07), após o que Sporting chegou ao intervalo a vencer por 3-1, com golos de Bas Dost (12), Gelson Martins (16) e Acuña (41).

Na segunda parte, Licá (65) e Fredy, este de penálti (79), restabeleceram a igualdade. Os ‘leões’ garantiram a vitória também com um penálti, apontado por Bruno Fernandes (80), em lance sancionado com recurso ao videoárbitro e muito contestado pelos ‘azuis’, do qual resultou a expulsão de Yebda.

O Belenenses mantém-se no 11.º posto, com 33 pontos, tranquilo na classificação, podendo mesmo garantir a manutenção, no próximo sábado, se ganhar em Paços de Ferreira e os dois últimos, Estoril e Feirense, perderem.

No outro jogo do dia, o Marítimo deu um passo em falso no que se refere à corrida pelo quinto lugar, que pode valer a Liga Europa – um quadro que só se formará se Sporting ou FC Porto conquistarem a Taça.

Os funchalenses cederam um empate em casa com o aflito Moreirense, 1-1, e podem ver Rio Ave afastar-se na segunda-feira, após a receção ao Tondela.

Nos Barreiros, Tozé adiantou a equipa de Moreira de Cónegos, aos 69, e Joel repôs o empate, aos 80.

O Marítimo é quinto na prova, com 44 pontos, mais um que Rio Ave, que tem um jogo a menos.

Quanto ao Moreirense, este precioso empate permite-lhe chegar aos 29 pontos, no 14.º lugar, três pontos acima da linha de descida de divisão.