De que está à procura ?

Desporto

Porto em terceiro; Braga fora do pódio

© lusa

Um golo de Galeno deu ao FC Porto uma vitória sobre o Sporting de Braga, por 1-0, na 34.ª e última jornada da I Liga de futebol, e segurou o terceiro lugar que os minhotos também ambicionavam.

O único tento da partida surgiu aos 84 minutos, com Galeno a dar a melhor sequência a um grande passe do recém-entrado Taremi, materializando uma superioridade muito justificada pelo facto de a equipa da casa ter jogado com menos uma unidade a maior parte do tempo – desde os 12 minutos, quando Victor Gómez foi expulso.

O FC Porto segurou, assim, o terceiro lugar, despedindo-se, contudo, da I Liga 2023/24 com uma exibição ‘cinzenta’, entrecortada por uma boa, mas breve, entrada na segunda parte.

Já o Sporting de Braga termina em quarto lugar, não conseguindo repetir o último lugar do pódio da época passada.

Nos ‘arsenalistas’, Rui Duarte fez regressar Paulo Oliveira ao eixo da defesa, cumprido o jogo de castigo, repetindo o resto da equipa que foi titular em Guimarães, no clássico minhoto da ronda anterior que venceu por 2-1.

Já Sérgio Conceição, ausente do banco devido a castigo, repetiu o ‘onze’ titular que alinhou na última jornada, na vitória caseira sobre o Boavista (2-1).

Separadas por um ponto à entrada da última jornada (69 contra 68) era o jogo do tudo ou nada para o Sporting de Braga, como Rui Duarte notara na véspera, porque só a vitória lhe podia permitir ‘roubar’ o terceiro lugar, ao passo que o FC Porto podia ‘jogar’ com dois resultados para o manter.

A partida ficou muito marcada pela ‘madrugadora’ expulsão de Victor Gómez, que viu dois cartões amarelos em quatro minutos. Rui Duarte mexeu na equipa pouco depois, retirando Pizzi e lançando Vítor Carvalho para ocupar a vaga deixada pelo jogador espanhol.

A superioridade numérica deu aos ‘dragões’ mais posse de bola, mas a turma de Sérgio Conceição não soube o que fazer com ela para criar reais situações de perigo durante o resto da primeira parte.

O FC Porto entrou na segunda parte com João Mário no lugar de Martim Fernandes e a equipa entrou bem melhor, mais pressionante e rápida sobre a bola.

Logo no primeiro minuto da segunda parte, Evanilson desviou ao primeiro poste um bom cruzamento de Wendell da esquerda e, cinco minutos depois, Otávio enviou ao poste na sequência de um canto, com a bola ainda a ser prensada num defensor dos minhotos.

Matheus teve depois três excelentes intervenções no espaço de um minuto: primeiro, a remates seguidos de Pepê e Francisco Conceção e, logo a seguir, a uma tentativa (52) em arco de Galeno (53).

Aos 55 minutos, um grande corte de Wendell impediu que Ricardo Horta encostasse após um excelente lance de Bruma e centro tenso de Borja, lance que seria a exceção ofensiva de um Sporting de Braga muito limitado e ‘curto’ por jogar com 10.

Rui Duarte lançou Álvaro Djaló (saiu Zalazar, aos 67), mas foi o FC Porto a criar perigo, por Nico González (72), com um remate rasteiro já dentro da área, mas que saiu à figura de Matheus, e Francisco Conceição, com um remate em arco (75), jogadores que saíram logo a seguir, substituídos por Stephen Eustáquio e Taremi.

O avançado iraniano, que se prepara para rumar ao Inter Milão na próxima temporada, seria decisivo com um fantástico passe de rutura que isolou Galeno – o extremo brasileiro mostrou frieza e fez o resultado final.

Pouco antes, Banza e Rony Lopes tinham sido as últimas apostas de Rui Duarte (saíram Abel Ruiz e Bruma, aos 82), que se revelaram tardias, já que só o triunfo interessava aos bracarenses.

TÓPICOS

Siga-nos e receba as notícias do BOM DIA