De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Desporto

Porto bate Tondela pela diferença mínima

O FC Porto venceu o Tondela, por 4-3, em partida da nona jornada da I Liga portuguesa de futebol, em que os ‘dragões’ ainda passaram por alguns sustos perante o eficaz contra-ataque dos beirões, que chegaram a liderar o marcador.

Zaidu, logo aos quatro minutos, Marega (36 e 48) e Taremi (56) apontaram os golos do triunfo do FC Porto, mas, pelo meio, o Tondela foi reagindo com os tentos de Mário González (20 e 74) e Rafael Barbosa (33), que na primeira parte até permitiram uma reviravolta no marcador.

Com este resultado, o FC Porto ultrapassa provisoriamente Benfica e Sporting Braga, ambos com menos um jogo, e sobe ao segundo lugar do campeonato, agora com 23 pontos, encurtando a desvantagem para o líder Sporting, que depois do empate de hoje com o Famalicão, tem mais quatro.

Já o Tondela, que somou a segunda derrota consecutiva, mantém-se em 14.º com oito pontos, mais um que as equipas que estão nos lugares de despromoção.

O mote para uma primeira parte que se viria a revelar frenética foi dado logo aos quatro minutos, por Zaidu, que ainda com o jogo ‘a frio’, inaugurou marcador, numa finalização oportuna, após contra-ataque trabalhado por Taremi e Otávio.

Apesar da madrugadora desvantagem, o Tondela manteve a defesa reforçada com três centrais, que foi dando conta das subsequentes vagas do ataque portista, onde Marega e Taremi, atacantes que pela primeira vez a jogarem juntos de início, foram desperdiçando oportunidades.

Apesar mais acometidos à sua área, os beirões acabaram por ser cirúrgicos na primeira vez que conseguiram armar um contra-ataque, aos 20 minutos, na sequência de uma perda de bola de Sérgio Oliveira, com Rafael Barbosa e conduzir e jogada e Mário González finalizá-la, com frieza, no empate.

O FC Porto, que não sofria golos há quatro jogos consecutivos, acusou o atrevimento do Tondela e mostrou-se muito trapalhão na tentativa de recuperar a dianteira, apesar da insistência de Otávio e Uribe, num par de lances.

Do outro lado, o Tondela mantinha-se em alerta às brechas que os ‘dragões’ concediam quando se balanceavam no ataque, algo que viria acontecer, já aos 33 minutos, quando, em mais um contra-ataque, João Pedro assistiu Rafael Barbosa, que junto à baliza desviou para a reviravolta no marcador, ludibriando Marschesin, que ainda tocou na bola.

Os ‘dragões’ ainda conseguiram reagir ao eficaz pragmatismo do adversário durante esta etapa inicial, minimizando os ‘estragos’ com um golo de Marega, na sequência de um canto, que estabeleceu o 2-2 com que se chegou a tempo de descanso.

O tento e o resgatar da igualdade terá galvanizado os ‘azuis e brancos’, e particularmente avançado maliano, durante o intervalo, pois no regresso ao jogo, e com apenas três minutos do reatamento, Marega numa iniciativa possante, assinou o ‘bis’ no desafio, após solicitação de Otávio, recolocando o FC Porto na frente.

Esta reentrada de rompante dos portistas destabilizou o Tondela, que então perdeu alguma da frieza defensiva demonstrada, acabando por permitir o ascendente contrário, materializado no quarto golo do FC Porto, logo aos 56, por Taremi, após grande jogada de Uribe que rompeu a defensiva do Tondela e assistiu o iraniano.

O 4-2 causou, por momentos, o desnorte na coesão defensiva dos tondelenses, com o FC Porto a ameaçar, nos momentos seguintes, a goleada, em duas perdidas de Taremi e Sérgio Oliveira.

No entanto, logo que conseguiram estabilizar-se, os visitantes voltaram a seu registo perigoso sempre que conseguiam esboçar os contra-ataques, e na terceira vez que o fizeram coerentemente revelaram-se letais, reduzindo para 4-3, aos 74, com um ‘bis’ do espanhol Mário González, desviando de cabeça uma assistência de Pedro Augusto.

Esse tento terá galvanizado os beirões para um esforço final, perante um FC Porto que foi perdendo tração com as substituições feitas, e já sem Uribe nos derradeiros instantes, por expulsão, levou o maior ‘susto’ do desafio, já aos 90+4, quando Khacef atirou, com estrondo à barra, e quase alterava o 4-3 final.