De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

Poema quase clássico

Queria muito escrever um poema fantástico
Creiam-me que não consegui, mas de novo tento
E se não conseguir, não vou puxar o elástico
Tudo deve ser natural e sem grande sofrimento.

Mas escavo bem profundo no pensamento
Não esforço muito. O pensamento é exacto
A intenção é boa, por isso não lamento
Não quero ser artificial no meu relato.

Pois há partos normais, e partos por cesariana
Falo de poesia natural e não de obra prima
Um poema esforçado pode nascer um sacana
E há poemas que gosto mesmo sem ter rima.

Agora rasgo meu peito e abro a beleza contida
Descrevo um horizonte, não esperança morta
Sou natural nas coisas mais simples da vida
O que é bom: sinto que cada rima me conforta!

José Valgode

 

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.