De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Comunidades

Paulo Pisco responde a Pedro Rupio: foram declarações infelizes de um conselheiro

O deputado eleito pelo Partido Socialista na Europa, tendo sido o mais votado neste círculo nas eleições de outubro, publicou em finais de janeiro um artigo sobre o ensino de português no estrangeiro afirmando que “está bem e recomenda-se”.

Este artigo suscitou uma resposta do conselheiro das comunidades eleito na Bélgica, Pedro Rupio, que acusou Paulo Pisco de mentir ou de desconhecer a realidade.

O deputado socialista enviou uma carta aberta ao Conselho das Comunidades Portuguesas que divulgou ainda junto dos meios de comunicação da diáspora na qual considera “infelizes” as declarações de Pedro Rupio, e considera que “se posso ser atacado por um conselheiro de forma ofensiva à minha reputação, também tenho o direito de me defender”.

Pisco considera lamentável que o conselheiro “tenha decidido atacar-me de forma pouco razoável, estando mais preocupado com o facto de eu ter posto em causa a credibilidade e a boa fé de um professor universitário, do que em ter insinuado que um Deputado da Assembleia da República “mentia e manipulava”, sem que eu alguma vez me referisse a ele e sem nunca ter dito no seu texto onde é que eu mentia e onde é que eu manipulava”.

O deputado insiste que é um defensor do ensino português no estrangeiro e que valoriza “a língua portuguesa em todas as suas dimensões”.

O deputado termina a carta aberta – que pode ler na íntegra aqui – afirmando que acha “manifestamente deslocado e de má fé dizer que tenho preconceitos em relação à diáspora, eu que vivi na diáspora, precisamente na Bélgica e que desde sempre luto pelo seu reconhecimento e valorização”.