De que está à procura ?

Comunidades

PAN: as políticas do PS para a emigração ficaram no século XX

O PAN considera que a renovação da confiança no Partido Socialista junto da emigração é um erro e acusou as políticas socialistas de terem ficado retidas no século XX. A declaração é de Rogério Castro, cabeça de lista do PAN pelo círculo da Europa, que falava ao BOM DIA no contexto de dois debates com os partidos portugueses candidatos às eleições legislativas de 30 de janeiro.

Questionado pelo BOM DIA acerca de um possível apoio do PAN ao PS nas próximas eleições, Rogério Castro distanciou-se do partido pelo qual Paulo Pisco é atualmente deputado pela emigração e apelou ao voto no Pessoas-Animais-Natureza.

“Não devem votar no PS. Aliás, o atual deputado socialista já é deputado pela Europa desde 1999 e os problemas do século XX continuam, assim como as políticas da emigração do PS”, referiu.

Desafiado a eleger as principais medidas do programa do PAN para a diáspora, Rogério Castro apontou quatro eixos que considera fundamentais. “O PAN definiu quatro prioridades. A educação, o melhoramento da participação cívica, o melhoramento da rede consular e o investimento no associativismo”, enumerou.

No setor da educação, o cabeça de lista do PAN ao círculo eleitoral da Europa afirmou ter como objetivos passar a tutela dos professores de língua portuguesa do atual Ministério dos Negócios Estrangeiros para o Ministério da Educação, disponibilizar ensino da língua portuguesa de forma gratuita – abolindo a propina paga ao Instituto Camões -, tornar o diploma do Instituto Camões reconhecido pelas instituições de Ensino Superior em Portugal, modernizar o suporte digital do referido instituto, contratar mais professores e aumentar o investimento dos atuais 4% para os 6%.

No âmbito da participação cívica, o PAN promete alargar o voto aos maiores de 16 anos, reformular os círculos eleitorais – passando dos atuais 16 para 10 -, aumentar os deputados eleitos pelos círculos da emigração e fomentar o voto eletrónico.

Também a rede consular mereceu destaque nas prioridades do partido de Rogério Castro, que pretende equilibrar o número de estruturas consulares mediante o número de cidadãos portugueses residentes no estrangeiro, rever a tabela salarial dos funcionários consulares, alargar as horas de atendimento dos consulados e introduzir conselheiros de ação social nas estruturas consulares.

Quanto ao associativismo, quarto e último eixo prioritário do PAN, Rogério Castro destacou a importância de criar um portal de promoção das associações, para que estas tenham mais facilidade em captar apoios públicos e privados.

O BOM DIA colocou a todos os participantes as mesmas questões, às quais o cabeça de lista do PAN respondeu assim:
– Voto eletrónico: sim
– Recenseamento automático: sim
– Mais candidatos pelos círculos da emigração: sim
– Ensino de português gratuito: sim
– Nacionalização da TAP: não se pronunciou

Para o primeiro debate aceitaram o convite do BOM DIA Livre, Bloco de Esquerda, Nós, Cidadãos!, Ergue-te, Aliança, ADN e CDU. O segundo debate juntou PSD, PS, PAN, Iniciativa Liberal, Volt Portugal, CDS-PP e MAS. Os partidos MPT, PCTP/MRPP, RIR, PTP e Chega não responderam ao convite.

Veja aqui o debate entre PSD, PS, PAN, Iniciativa Liberal, Volt Portugal, CDS-PP e MAS:

Legislativas 2022: Candidatos pela Europa

Legislativas 2022: Candidatos pela Europa

Posted by BOM DIA on Saturday, January 15, 2022

TÓPICOS