De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Desporto

Ouro, prata e bronze em Minsk no mesmo dia

Portugal conquistou domingo uma medalha de ouro – a primeira em Minsk -, uma de prata e uma de bronze nos II Jogos Europeus, aumentando para seis o seu pecúlio na capital bielorrussa, após o segundo dia de competição.

Num formato novo – e sem que os melhores atletas compitam diretamente ou sob as mesmas condições – o atletismo viu Carlos Nascimento garantir o ouro nos 100 metros, enquanto Ricardo dos Santos, Cátia Azevedo, João Coelho e Rivinilda Mentai foram bronze na estafeta 4×400 metros mista.

Fora dos favoritos às medalhas na comitiva lusa de 98 desportistas na Bielorrússia, as ginastas acrobatas Bárbara Sequeira, Francisca Maia e Francisca Sampaio Maia têm sido o expoente máximo do desempenho luso, já com três medalhas conquistadas, a de hoje de prata no combinado: já tinham o segundo lugar no exercício dinâmico e a de bronze na prova de equilíbrio.

Carlos Nascimento, que esta época já tinha corrido em 10.26, ficou a saber que era ouro em Minsk com 10.35. Num novo modelo, com quatro grupos de seis equipas a competir em horários e condições distintas, percebeu, por integrar a última ‘poule’ e saber a marca que precisaria de fazer, que tinha o melhor tempo.

Num formato que até os atletas confunde, as contas de Ricardo dos Santos, Cátia Azevedo, João Coelho e Rivinilda Mentai nos 4×400 metros mistos eram mais complicadas: tiveram conhecimento do seu bronze pouco depois de correrem em 3.19,63, longe do ouro da Ucrânia, em 3.17,31, mas próximo da prata da República Checa, em 3.19,05.

No judo, que conta como Europeu, Anri Egutidze (-81 kg) e Bárbara Timo (-70 kg) caiaram na segunda ronda, enquanto Carlos Luz (-81 kg), Jorge Fernandes e Nuno Saraiva (-73 kg) não passaram do primeiro combate.

No ténis de mesa, Marcos Freitas, Fu Yu e Jieni Shao passaram à quarta ronda, mas Tiago Apolónia foi afastado: a equipa masculina, que integra ainda João Monteiro, defenderá o ouro coletivo conquistado em Baku2015.

No ciclismo, Nélson Oliveira, esperança de Portugal na conquista de uma medalha no contrarrelógio de terça-feira, foi o melhor, em 10.º lugar, a 45 segundos do vencedor.

No pelotão, Daniel Mestre chegou em 21.º e Rafael Silva em 38.º, a 54 segundos: mais distantes, César Martingil foi 71.º, a 1.08 minutos, João Matias 92.º, a 6.32, entre os 116 ciclistas que terminaram a prova.

No tiro com pistola a 10 metros, João Costa falhou a final por uma décima – foi 10.º, igual ao nono, com 578 pontos, a um do necessário -, enquanto Joana Castelão, que estava nos primeiros lugares ao fim de quatro das seis séries de disparos, cairia para 18.º, quando passavam apenas oito.

No tiro com armas de caça, as finais ficaram ainda mais distantes, pois João Paulo Azevedo foi 27.º, em 30 competidores. Ana Rita Rodrigues foi 25.ª e Maria Barros 26.ª, entre 29 participantes.

Portugal é o 11.º entre os 31 países que já subiram ao pódio, com seis medalhas: o ouro de Carlos Nascimento nos 100 metros, a prata das ginastas acrobatas Bárbara Sequeira, Francisca Maia e Francisca Sampaio Maia em combinado e no exercício dinâmico, além do bronze na prova de equilíbrio.

Conquistaram igualmente a medalha de bronze a judoca Telma Monteiro e a estafeta mista 4×400 metros, de Ricardo dos Santos, Cátia Azevedo, João Coelho e Rivinilda Mentai.

Em Baku2015, na estreia dos Jogos Europeus, Portugal amealhou três medalhas de ouro, quatro de prata e três de bronze, pecúlio que lhe valeu o 18.º lugar entre 50 países.

Nestes II Jogos Europeus, que reúnem 4.000 atletas de 50 países em 15 desportos, Portugal compete com 98 elementos em atletismo, badminton, futebol de praia, canoagem, ciclismo (estrada, contrarrelógio e pista), ginástica (artística, trampolins, aeróbica e acrobática), judo, karaté, lutas amadoras, tiro, tiro com arco, tiro com armas de caça e ténis de mesa.