De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Mundo

Os números do novo vírus no mundo

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 41,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China. Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Em baixo, os desenvolvimentos da pandemia em alguns países do mundo:

Espanha

O presidente do Governo espanhol afirmou esta sexta-feira que o número real de infetados com o novo coronavírus em Espanha é de três milhões de pessoas, embora o registo oficial o coloque em um milhão.

Numa declaração institucional desde o Palácio da Moncloa, em Madrid, Pedro Sánchez classificou como “grave” a evolução da pandemia em Espanha.

A contagem oficial de infetados ultrapassou um milhão de casos na última quarta-feira, mas, segundo Sánchez, estudos de seroprevalência desenvolvidos por instituições publicas com especialistas científicos indicam que “o número real de pessoas que foram infetadas supera os três milhões”.

Pedro Sánchez não atualizou a informação sobre o número de mortes que, segundo dados de quinta-feira, ascendem a 34.521 mortes desde o início da pandemia.

Estados Unidos da América

Os Estados Unidos registaram 1.035 mortos por covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com a contagem independente da Universidade Johns Hopkins.

Com este balanço, o país atingiu os 222.965 óbitos, com quase 8,4 milhões de casos confirmados desde o início da pandemia, depois de terem sido identificados 72.158 casos nas últimas 24 horas. Nova Iorque é o estado com maior número de óbitos (33.377). Só na cidade de Nova Iorque morreram 23.955 pessoas.

O Instituto de Métricas e Avaliações de Saúde da Universidade de Washington estimou que até ao final do ano os Estados Unidos terão ultrapassado as 315 mil mortes, com o número a subir para as 390 mil a 1 de fevereiro de 2021. Os Estados Unidos são o país com mais mortos e também com mais casos de infeção confirmados.

Rússia:

A Rússia registou 17.340 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, um novo recorde de infeções diárias desde o início da pandemia, informaram esta sexta-feira as autoridades de saúde do país. Além disso, ocorreram 283 mortes no último dia, elevando o número de óbitos provocados pela doença para 25.525, segundo estatísticas oficiais.

A capital russa, o maior foco de infeção do país desde o início da pandemia, somou 5.478 e 62 mortes ao registo diário.

Para conter a propagação, a Câmara Municipal de Moscovo ordenou o regime de teletrabalho para, pelo menos, 30% da força de trabalho das empresas e organizações, nos casos em que não afete o seu funcionamento, e recomendou àqueles com mais de 65 anos e aos doentes crónicos para que fiquem em casa.

Argentina:

A Argentina registou 438 mortos e 16.325 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando o total de óbitos para 27.957 e de casos para 1.053.650, disseram as autoridades.

O número de pessoas hospitalizadas nos cuidados intensivos por pacientes com covid-19 é agora de 4.611, um novo recorde. Segundo as autoridades, 851.854 pacientes foram dados como recuperados.

Na Argentina estão em vigor medidas de isolamento desde 20 de março e já foram realizados 2,74 milhões de exames, o que corresponde a mais de 60 mil testes por milhão de habitantes.

O Governo argentino anunciou a 9 de outubro que mantém as medidas obrigatórias de isolamento e distanciamento em função da situação epidemiológica de cada região, restrições que vão vigorar, pelo menos, até domingo.

México:

O México registou 479 mortos e 6.612 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando o total de óbitos para 87.894 e 874.171 casos, informou o Ministério da Saúde.

Os casos acumulados tiveram um aumento de 0,76% e os óbitos de 0,45%, em relação ao dia anterior, indicaram as autoridades ao apresentarem nesta quinta-feira o balanço nacional da pandemia, que destacaram o facto de 636.391 pacientes terem sido dados como recuperados.

Covid-19 é a quarta causa de morte no México, atrás apenas de doenças cardíacas, diabetes e tumores malignos, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística e Geografia.

Colômbia:

A Colômbia registou 172 mortos e 8.570 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando o total de óbitos para 29.636 e de casos para 990.270, informaram na quinta-feira as autoridades.

De acordo com o balanço diário do Ministério da Saúde, o número de casos ativos continuou a diminuir até aos 64.651 e o de casos recuperados subiu para 893.712.

Os principais focos da pandemia na Colômbia são Bogotá, com 304.567 casos, seguindo-se Antioquia (149.191).

Coreia do Sul:

A Coreia do Sul registou 155 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, o maior número em mais de 40 dias, com um aumento de infeções em hospitais e lares da terceira idade.

Os 155 novos casos anunciados esta sexta-feira pela Agência de Controlo e Prevenção de Doenças da Coreia do Sul elevam o número de infeções desde o início da pandemia para 25.698, que provocaram 455 mortes.

De acordo com as autoridades, 138 dos novos casos são transmissões locais, a maioria com origem na área metropolitana da capital.

Perú:

O Peru registou 47 mortes por covid-19 e 1.121 casos nas últimas 24 horas, elevando o total para 879.876 infeções e 33.984 óbitos desde o início da pandemia, anunciaram as autoridades peruanas.

Apesar de ser o nono país com mais casos de covid-19 e mortes, além do que tem a mais alta taxa de mortalidade do mundo, o Peru registou no último dia o número mais baixo de óbitos desde 26 de abril.

O número de casos ativos também desceu a fasquia dos 50 mil, tendo 796.719 pessoas recuperado da doença desde que o novo coronavírus chegou ao país, em março, segundo o Ministério da Saúde.

África:

Mais 197 mortes devido à covid-19 foram registadas nas últimas 24 horas em África, onde o número de casos é agora de 1.685.589 (mais 10.997), segundo dados oficiais.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de mortos nos 55 Estados-membros da organização devido ao novo coronavírus atingiu os 40.690. Os recuperados são agora 1.380.448, mais 6.574.

A África Austral continua a registar o maior número de casos de infeção e de mortos, registando 785.582 infetados e 20.262 vítimas mortais. Nesta região, só a África do Sul, o país mais afetado do continente, contabiliza 710.515 casos e 18.843 vítimas mortais.

O norte de África, a segunda zona mais afetada pela pandemia, tem 454.060 pessoas infetadas e 12.851 mortos e a África Oriental contabiliza agora 199.841 casos de infeção e regista 3.728 vítimas mortais.

Na região da África Ocidental, o número de infeções é de 186.557, com 2.717 vítimas mortais, e na África Central há 59.549 casos e 1.132 óbitos.

O Egito, que é o segundo país africano com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, regista 6.166 mortos e 106.060 infetados, e Marrocos contabiliza 3.132 vítimas mortais e 186.731 casos de infeção. A Argélia surge logo a seguir, com 55.091 infeções e 1.880 mortos.

Entre os seis países mais afetados estão também a Etiópia, que regista 91.693 casos de infeção e 1.396 vítimas mortais, e a Nigéria, com 61.805 infetados e 1.127 mortos.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, Angola lidera em número de mortos e Moçambique em número de casos.