De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Mundo

OMS preocupada com o “nacionalismo de vacinas”

A Organização Mundial da Saúde, OMS, revelou que o excesso de procura e competição pelo fornecimento de uma possível vacina contra a covid-19 já está a criar nacionalismo de vacinas e risco de aumento de preços. Falando aos jornalistas, em Genebra, o diretor-geral da agência, Tedros Ghebreyesus, explicou que será fundamental encontrar novas ferramentas como uma vacina para combater o vírus, para recuperar a economia global e acabar com a pandemia.

Tedros Ghebreyesus disse que a prioridade vai para o desenvolvimento de novas vacinas. Para o representante, a maior e mais imediata necessidade vai para uma aliança internacional para garantir uma vacina contra o vírus para todos, denominada ACT Acelerador. Atualmente 167 países fazem parte da iniciativa.

O diretor-geral explicou que esta iniciativa global é a “única ativa e em execução” integrando pesquisa, desenvolvimento, fabricação global, regulamentação, aquisições e outras ferramentas necessárias para conter a covid-19.

Segundo ele, o ACT Accelerator permite que “governos distribuam o risco e compartilhem os ganhos”.

Na sessão, a diretora da agência para o Acesso a Medicamentos, Vacinas e Produtos Farmacêuticos, a brasileira Mariângela Simão, disse que, das cerca de 200 candidatas a vacina, nenhuma delas chegou ao fim dos ensaios clínicos.

O chefe da OMS realçou que o desenvolvimento de vacinas é um processo “longo, complexo, arriscado e caro” e que “a grande maioria delas falha no início do desenvolvimento”. Ele lembrou que o mundo já gastou trilhões lidando com as consequências de curto prazo da pandemia.