De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

O meu pai é 103.434º do ranking mundial de melhores pais

Depois de tanta gente ontem reivindicar que tinha o melhor pai do mundo, fico muito contente por o meu estar no lugar 103.434º do ranking mundial de melhores pais. Não tive outro, fez-me feliz, deu-me educação, proporcionou e continua a proporcionar momentos insólitos, na maioria hilariantes, trata bem a minha mãe, é estimado pela generalidade das pessoas e serve-me de exemplo. Mas não posso comparar com outros pais a não ser que era muito forreta na semanada que nos atribuía e depois tínhamos que lhe assaltar a carteira porque a vida de um adolescente não era propriamente barata.

Eu como pai devo estar no 123.409.118º do ranking mundial de melhores pais e estou muito satisfeito com isso! A minha mais preocupação era e continua a ser que a Diana seja feliz, tenha valores morais e os saiba transmitir e tudo de bom. Talvez algumas vezes tenha sido bom pai, outras vezes mau pai, especialmente quando me esquecia de a ir buscar à escola e outras actividades extra curriculares. Ficava lá a pobre à espera que alguém se lembrasse que ela existia.

Por circunstâncias da vida e posteriormente da morte, houve um momento em que a Diana veio viver comigo, éramos uma família de duas pessoas: pai e filha! No início foi complicado porque tive que modificar rotinas, hábitos e vícios para parecer que a nossa casa era um lar. Na altura já namorava com a Ana e grande parte do tempo e episódios e ela colaborou imenso. Apareceu depois um cachorro que servia de irmão à minha filha, um pato enorme peluche que era amante do cachorro e depois casei-me. A Diana e a Ana nunca foram reconhecidas pelo bom feitio mas possuem bom coração e fomo-nos moldados todos uns aos outros.

Tive que me habituar a falar com a Diana sobre a menstruação, sobre buços, vestidos de baile, depilações, roupa de marca de gajas, maminha a crescerem e entrei em confusão quando ela chegou muito contente do Centro de Saúde a informar-me que iria ter no mês seguinte uma consulta de planeamento familiar. Até pensei que fosse proibido a menores de 18 anos. Adaptei-me deu-me uma maior flexibilidade e a certeza de que na vida temos que estar preparados para tudo, até que de repente nos apareça um neto.

E é isto. No próximo ano vou tentar estar no ranking dos 100 milhões de melhores pais do mundo.