De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Motores

O carro mais belo alguma vez construído

Em 1961, a reação do insuspeito Enzo Ferrari ficou para a História: “É o carro mais belo alguma vez construído”. A frase foi proferida no Salão Automóvel de Genebra, onde o E-Type se deu a conhecer ao mundo – e o mundo gostou do que viu.

Desenhado por um engenheiro aeronáutico (Malcolm Sayer) que se especializara no estudo da aerodinâmica numa época em que o conceito pertencia quase em exclusivo à aviação, o E-Type rompeu com tudo o que a Jaguar tinha posto antes no mercado. Talvez não seja coincidência que o E-Type fosse o primeiro modelo a não ser desenhado pelo próprio cofundador da Jaguar Cars, Sir William Lyons.

Com uma linha de cintura baixa, o E-Type apresentava um conceito que juntava um inovador monobloco em aço com um chassi tubular na frente que sustenta o motor V12 com 3.781 de cilindrada e 265 cavalos de potência. Dos testes realizados saiu uma velocidade máxima oficial de 265 km/h, embora hoje se estime que o valor “real” andasse mais perto dos 225 km/h.

Na apresentação do E-Type no salão auto de Nova Iorque, no mesmo ano, Frank Sinatra terá dito: “Eu quero este carro e quero-o agora!” Enquanto feliz proprietário deste Jaguar, estava na companhia de ilustres como o guitarrista dos Beatles George Harrison, o ator Tony Curtis ou o lendário futebolista George Best. Até o Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA) cobiçou um, e teve-o, em 1996. A aquisição do E-Type para a sua coleção de arte – apenas a terceira vez que o museu incluiu um carro – demonstra a impacto cultural das suas curvas (e da sua capacidade de as fazer em alta velocidade, acrescente-se).

Está apresentado o menino dos anos. O sexagenário cujo legado a Jaguar decidiu celebrar com o novo F-Type Heritage 60 Edition, um modelo inspirado nos anos 60 baseado no F-Type R de 575 cavalos – o mais potente da nova gama lançada em dezembro de 2019. Destaca-se também pela tração integral, amortecedores, barras estabilizadoras e suspensão traseira atualizados para melhorar a condução. Os 575 cavalos são debitados por um motor V8 Supercharged, e pode dizer-se que a performance honra a memória do E-Type: de zero a 100 km/h são apenas 3,7 s, com a velocidade máxima eletronicamente limitada a 300 km/h. Pormenor: de entre as cores possíveis para o Heritage 60 Edition está a Sherwood Green (nas fotos) que a Jaguar não utilizava desde os anos 60.

“Beneficiámos de um acesso inigualável aos desenhos, códigos de cores e materiais de referência originais, e trabalhámos em parceria com os nossos colegas da Jaguar Classic para criar uma interpretação exclusiva e irresistível para colecionadores do expoente máximo dos desportivos Jaguar”, disse Clare Hansen, do departamento (SV Bespoke), responsável pela personalização e acabamentos manuais dos 60 modelos que vão ser colocados à venda em 2021 a partir de 200 mil euros.