De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Comunidades

O capelão que usou a internet para se manter ligado aos fiéis

O capelão da comunidade de língua portuguesa no centro do Luxemburgo disse à Agência ECCLESIA que os meios digitais foram essenciais para a proximidade com os emigrantes, durante o confinamento provocado pela pandemia.

“Durante o tempo do confinamento [desde o dia 17 de março até ao dia 13 de maio], os meios digitais foram exatamente a forma de poder chegar às pessoas”, indica o padre Sérgio Mendes, no Luxemburgo desde 2012.

O sacerdote propôs-se “fazer um caminho através do Facebook para chegar às pessoas com um vídeo diário, com uma pequena reflexão, oração e uma canção”. “Acabou por ser até um período interessante”, assinalou.

Durante algum tempo, o sacerdote português no Luxemburgo fazia “a oração da manhã que era colocada online todas as manhãs” e outro missionário, com a esposa, da missão católica de Ausgbourg (Alemanha), fazia a oração da tarde, propostas que que chegaram a “muitas pessoas”.

O padre Sérgio Mendes celebrou várias “vezes a Eucaristia com um pequeno grupo” e “em cada vídeo ia colocando uma intenção”, lembrando os grupos que integram a Comunidade de língua portuguesa.

Os meios e plataformas usadas foram as mais usuais, “o Facebook, o Messenger, o WhatsApp, Zoom”.

O sacerdote, natural da Diocese da Guarda, considera que o período da pandemia é um “tempo de aprendizagem” e tem sido vivido na comunidade portuguesa “com receio e medo à mistura e com todas as dificuldades que este período trouxe”.

“É importante mostrar que Deus está connosco em todos os momentos e muito em especial nos momentos mais difíceis”, acrescenta o padre Sérgio Mendes, para quem o vírus veio “abrir os olhos para muitas coisas”.

“Será uma pena que, depois da covid-19 não se tenha aprendido a lição”, aponta.

O papel dos capelães, observa, tem passado tanto na vertente espiritual como nas recomendações governamentais, porque “apesar de também poder sentir algum receio e medo deve também transmitir alguma esperança, mantendo uma relação próxima com todos e sobretudo com Deus”.

Para além de transmitir a esperança, cada padre tem também “uma certa responsabilidade em transmitir as recomendações governamentais e, sobretudo, em tentar explicá-las e ajudar a cumpri-las”, sublinhou o entrevistado.

O padre Sérgio Mendes acompanha a comunidade de língua portuguesa no centro do Luxemburgo, em conjunto com um grupo de Servas de Nossa Senhora de Fátima.