De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Mundo

Número global de migrantes sobe mais do que a população mundial

As Nações Unidas anunciaram que os migrantes internacionais atingiram cerca de 272 milhões em 2019, um aumento de 51 milhões desde 2010.

As novas estimativas foram publicadas pelo Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU, Desa.

Atualmente, os migrantes internacionais representam 3,5% da população global, em comparação com 2,8% no ano 2000. Segundo os dados, a população mundial está crescendo, ficando mais velha, mais móvel e mais urbanizada.

Na Europa vive o maior número de migrantes internacionais, 82 milhões. A seguir estão a América do Norte com 59 milhões, e o norte da África e Ásia Ocidental com 49 milhões cada.

A distribuição regional destes migrantes está mudando, crescendo mais rapidamente no norte da África, na região subsaariana e na Ásia Ocidental.

Em termos relativos, o peso desta população tem grandes variações regionais. Na Oceânia, incluindo Nova Zelândia e Austrália, representa 21% do total de habitantes. Já  na América do Norte chega aos 16.

Os deslocamentos forçados continuam subindo. O número global de refugiados e pessoas que procuram asilo aumentou 10 milhões entre 2010 e 2017, sendo responsáveis por mais de um quarto do aumento total. A África do Norte e a Ásia Ocidental acolheram 46% destas pessoas, seguidas pela África Subsaariana, com cerca de 21%.

Em 2019, dois terços de todos os migrantes internacionais vivem em apenas 20 países. O maior número, 51 milhões, está nos Estados Unidos, representando 19% do total global. Seguem-se Alemanha e Arábia Saudita, com 13 milhões cada. A Rússia tem 12 milhões e o Reino Unido 10 milhões.

Mais de dois quintos de todos os migrantes internacionais nasceram na Europa, 61 milhões, ou na Ásia Central e do Sul, 50 milhões. A América Latina e o Caribe foram pontos de origem de mais de 40 milhões e outros 37 milhões foram naturais da Ásia Oriental e do Sudeste.

A maioria destas pessoas se desloca entre países localizados na mesma região. Na África Subsaariana, por exemplo, esse é o caso de 89% das pessoas. Já na América do Norte, 98% dos migrantes vinham de outra região.

Em termos globais, um terço de todos os migrantes internacionais tem origem em apenas 10 países. A Índia é país de proveniência de mais migrantes internacionais, com 17,5 milhões de pessoas vivendo no exterior.

Os migrantes do México são a segunda maior diáspora, 11,8 milhões, seguidos pela China, 10,7 milhões, Rússia, 10,5 milhões, e Síria, 8,2 milhões.

As mulheres representam pouco menos da metade de todos os migrantes internacionais, tendo caído de 49,3% em 2000 para 47,9% em 2019. A maior proporção de mulheres migrantes está na América do Norte, 51,8%, e na Europa, 51,4%.

Em relação à idade, um em cada sete migrantes internacionais tem menos de 20 anos. A África Subsaariana recebeu a maior proporção de jovens, 27%, seguida pela América Latina e Caribe, Norte da África e Ásia Ocidental, cerca de 22%.

A grande maioria das pessoas, três em cada quatro, está em idade ativa.