De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

Nestas noites

Segredo ao teu ouvido
Quero tudo
Tenho tão pouco
A vida dictadura dos teus quereres
Omites o que sentes
E sobrevives a todas estas noites
Nestas noites a nostalgia é mais forte
Tenho tantas saudades tuas
Silencio tudo
Quebro todos os gritos
Deixo de existir
Sou amante em pausa
Na alegria do teu tesão
Morre a euforia dos nossos delírios
Pensamos em existir
E desistimos no momento seguinte
Mas porquê? Merecemos apenas isto?
Já não sei
A nossa cumplicidade é fósforo incandescente
Duas velas que se iluminam
E seguem caminho
Errantes nestas noites
Onde tu tão perto
E tão longe, meu amor…

BV090720

 

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.