De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Publireportagens

Negócios online e offline que não têm medo da pandemia

Mesmo com o governo de Portugal a disponibilizar uma linha de crédito de 200 milhões de euros para ajudar empresas e criando outras iniciativas para ajudar os empresários, os efeitos da pandemia de covid-19 foram devastadores para muitos empreendedores.

Em todos os cantos do mundo há histórias de negócios pequenos que não resistiram ao confinamento.

Entretanto, há outro lado nesta história. Há negócios que não só sobreviveram à pandemia, mas acabaram por ser impulsionados por causa dela. Estamos a falar de negócios online e offline. Negócios que já existiam antes da pandemia, mas que acabaram por beneficiar da situação.

Neste artigo vamos falar de cinco negócios que se saíram muito bem durante a pandemia.

E-commerce

O e-commerce, ou comércio eletrónico, é a venda de produtos através da internet, sem a necessidade de uma loja física. Este tipo de comércio já prosperava bem antes da pandemia e só melhorou com ela.

Não há segredos para o sucesso do e-commerce durante a pandemia. As grandes lojas físicas foram fechadas em diversas partes do mundo, mas a necessidade das pessoas por produtos não desapareceu por conta disso.

Um e-commerce pode funcionar perfeitamente sem aglomeração de pessoas. Uma pessoa vai ao website da loja, escolhe o produto e a empresa cuida da entrega do mesmo. A simplicidade é uma das chaves para o seu sucesso. Note que tudo depende dos serviços de entrega, por isso, este é o nosso próximo tópico.

Serviços de entregas ao domicílio

Os serviços de entregas em domicílio são a espinha dorsal do e-commerce, mas vão muito além dessa modalidade de comércio. Basta lembrar que supermercados, restaurantes e diversas empresas tiveram que fechar as suas portas temporariamente para o público.

É aí que os serviços de entrega entram em cena. Eles servem como um intermediário entre qualquer empresa que vende produtos físicos e seus clientes. Este é mais um caso de serviço que já existia antes da pandemia, mas acabou por prosperar por causa dela.

Por trás disso tudo temos as aplicações, como o iFood, que ajudam a viabilizar o processo de entrega. De certa forma, o desenvolvimento e manutenção desse tipo de software também foi um negócio que cresceu com a pandemia.

Ensino à distância

Com a pandemia veio o desemprego. Milhares de pequenas empresas tiveram que fechar as portas. Grandes empresas tiveram que demitir funcionários. E a pandemia é um péssimo período para quem tem que procurar emprego.

A única coisa que resta para muita gente é aproveitar o tempo em casa e procurar formar-se, mas as instituições de ensino que oferecem cursos presenciais também pararam durante a pandemia. A alternativa foi o ensino à distância.

O mercado de cursos online já prosperava antes da pandemia, plataformas como a Hotmart são prova disso. Mas com a chegada dos lockdowns, uma nova procura surgiu. Produtores de conteúdo digital, os cursos online, viram-se diante de uma massa de pessoas que queriam e precisavam de se formar, ao mesmo tempo que não tinham outra alternativa a não ser as opções na internet.

Mercado de produtos naturais

Se tem uma coisa que a pandemia nos mostrou foi a importância de cuidar da saúde. Pessoas com o sistema imunológico frágil ou com comorbidades estão entre as mais suscetíveis à covid-19. Este cenário fez com que muitas pessoas repensassem os seus estilos de vida.

A mudança necessária envolve dois pilares: prática de atividade física e alimentação saudável.

Lojas de produtos naturais como vegetais, suplementos alimentares, etc. viram uma nova demanda surgir para os seus produtos. Desta vez, essas lojas contaram com a ajuda da publicidade gratuita divulgada pelas autoridades médicas que sempre enfatizavam a importância de uma alimentação saudável para evitar a covid-19.

Criação de websites e software

Já falamos aqui sobre como o e-commerce e os serviços de entrega estão em alta durante a pandemia. Por trás disso tudo, existem websites e aplicativos que viabilizam os negócios. Empresas que criam e fazem a manutenção de softwares são essenciais para diversos empreendimentos.

Até os programadores e web designers autónomos que criam sites como o Bettilt passaram a contar com uma nova leva de clientes em potencial: as pessoas que têm o digital como a única opção para viabilizar os seus negócios.

É interessante notar como essas áreas estão relacionadas. Há uma procura pela criação e manutenção de softwares e websites, o que cria uma demanda por cursos de formação em desenvolvimento de software.

Considerações finais

Não estamos aqui para negar os efeitos negativos da pandemia. Sabemos muito bem que diversos empresários e trabalhadores sofreram durante esse período. Mas não podemos negar que alguns setores foram beneficiados pela nova realidade do mundo.

Citamos aqui cinco negócios que não tem medo da pandemia, mas a verdade é que esta lista poderia ser muito maior.

Criatividade, resiliência e oportunismo são algumas das características que fizeram muitas pessoas terem sucesso durante um dos períodos mais obscuros do século XXI.