De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

Meu amor

meu amor
faz do meu corpo
o chão festivo das tuas danças
deixa que as minhas mãos, almejantes
peregrinem pelo verão
prodigioso das tuas ancas
deixa que nelas infinitamente se demorem
delirem

meu amor
concede-me a nascente do teu sangue
a vastidão do milagre contido nos teus olhos
e toda a vindima da tua carne
deixa que a minha boca ensurdeça
a melodia da tua língua

meu amor
permite que a percussão disto que sinto
sitie o firmamento dos teus ouvidos
onde o sol é afortunado

e dança, dança, dança
não pares de dançar

dm

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.