De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

Jogo do dia Euro2016: Hungria-Portugal

Portugal Cristiano Ronaldo (L) Joao Mario (C) and Anthony Lopes (R) thank to the supporters in the end of the UEFA EURO 2016 group F preliminary round match between Hungary and Portugal with the final score of 3-3 at Parc Olympique Lyonnais in Lyon, France, 22 June 2016. MIGUEL A. LOPES/LUSA
Jornada de loucos no Euro 2016. A Islândia a bater a Austria aos 95m por 2-1. A Bélgica a enviar Ibrahimovic e a sua seleção para casa 1-0, e a Irlanda a apurar-se graças a uma vitória surpreendente sobre a Itália. Mas não foi tudo, este foi o melhor jogo do Euro até agora: Hungria-Portugal.
Foi um jogo de loucos em Lyon, onde a seleção portuguesa esteve fora do Euro por 3 vezes. Numa primeira parte sofrível, Portugal foi reagindo a cada soco no estômago da equipa húngara, que jogou totalmente descomplexada sabendo que ja estava apurada para os oitavos.
O calor, o cansaço a ansiedade explicam alguma coisa, mas não tudo,quanto a mim penso que a seleção nacional está com alguns problemas em termos defensivos, não apenas na sua organização mas sobretudo na sua transição defensiva, problemas esses que dificilmente serão corrigidos.
Entrou bem a equipa húngara a criar logo nos primeiros minutos uma ocasião com Pepe a evitar o pior, e na segunda transição rápida voltou a criar problemas e a ganhar um canto de onde resultaria o primeiro golo. Reação tardia à perda.
A primeira parte foi correndo na mesma toada, Portugal com mais posse, muito jogo exterior, cruzamentos, mas pouca chegada na área e sem oportunidades até que Ronaldo fez uma enorme assistência para Nani fazer o empate.
Para o segundo tempo Renato entrou para o lugar de Moutinho e a mexida trouxe mais frescura à equipa, apesar disso e com muita sorte à mistura e num resalto Dzudzsak fez o 2-1. Portugal voltou a reagir e Ronaldo viria a fazer o melhor golo do Euro até agora de letra a cruzamento de João Mário. Minutos mais tarde o 3-2 para a Hungria novamente num ressalto e onde voltamos a não atacar o portador.
A equipa mostrou atitude e já com Quaresma em campo, boa entrada, chegou à igualdade com Ronaldo mais uma vez a restabelecer a igualdade e a dar o apuramento aos portugueses.
A equipa nacional terminou o jogo com 21 remates, 455 passes o dobro dos hungaros, William apesar de não ter feito uma boa exibição foi rei nos passes com 71, nas recuperações Pepe dominou com 6. Ao nível dos roubos de bola Juhasz com 6 Guzmic foi o melhor assim como em cortes de cabeça com 4.
Agora lugar aos oitavos de final contra a boa equipa da Croácia recheada de grandes jogadores.
Estamos na luta.