De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

Jogo do dia Euro2016: Croácia-Portugal

Já depois da Polónia afastar os Suíços nas grandes penalidades 4-5, e de Gales afastar a Irlanda do Norte por 1-0, lugar ao jogo mais esperado: Croácia-Portugal

Mudanças na equipa portuguesa, com estreia de José Fonte, Cedric e Adrien.

Primeiros minutos com Portugal a consentir a posse de bola à Croácia durante os primeiros 5 minutos equilibrando a partir daí.

Jogando mais uma vez num 4x4x2 clássico e num jogo de poucos riscos das duas equipas, e grande guerra naquele meio campo com marcações cerradas de parte a parte e por vezes mesmo individualizadas, William x Rakitic , Adrien x Modric. Com Modric a baixar para a primeira bola de saída e Adrien sempre a bloquear essa saída.

Adrien fez quanto a mim uma bela exibição. Ronaldo esteve muito solidário em termos táticos com a equipa colocando o coletivo à frente do individual, esteve também muito isolado na frente e a fazer muitos movimentos de dentro para fora, movimentos esses que não favorecem o seu jogo, no entanto fantástico na liderança da estratégia, a dar o exemplo e a iniciar e a terminar a jogada do golo português.

A primeira ocasião teve  Pepe a responder com cabeceamento por cima da barra a um cruzamento numa primeira parte fechada em termos de oportunidades.

Entrou melhor a Croácia novamente no segundo tempo, Portugal mudou o sistema para 4x3x3 com bola, 4x1x4x1 em org. defensiva com a entrada de Renato para o lugar de André Gomes e a passagem de Nani para o flanco direito.

Melhor oportunidade do segundo tempo por Vida de cabeça num livre lateral. Na resposta pênalti por assinalar sobre Nani.

Portugal melhorou bastante em relação aos últimos jogos ao nível da transição defensiva jogando de forma mais equilibrada e dando mais iniciativa à Croácia. Apesar disso a concentração das duas equipas manteve-se ao longo dos 90m e prolongamento, onde apenas denotei uma ou outra falha nas bolas paradas defensivas, que poderiam ter dado a vitória aos Croatas eles que atiraram mais vezes à baliza, acertando mesmo no poste nos minutos finais.

Quaresma libertou Portugal num jogo muito difícil e deu a qualificação numa rápida transição, iniciada por Ronaldo, conduzida por Renato Sanches (excelente entrada na partida), quando todos já esperavam os pênaltis.

Nos passes Modric esteve imperial com 117 passes, ao nível das bolas recuperadas Brozovic, Vida e Pepe com respectivamente 11 e 10 estiveram em evidência, Cedric que efectuou um bom jogo obteve 6 intercepções e bloqueou 3 cruzamentos.

Grande estratégia de Fernando Santos e melhor executada pela equipa.

Estamos na luta.