De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Comunidades

Já há 144 Gabinetes de Apoio ao Emigrante

O Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, marcou presença, dia 9 de novembro, na assinatura do Gabinete de Apoio ao Emigrante de Pombal e referiu a importância de expandir a rede nacional de Gabinetes de Apoio ao Emigrante.

Nos últimos três anos de Governo foram criados 44 GAE, existindo um total de 144, dos quais quatro estão em grandes freguesias.

“Conseguimos cumprir o objetivo de alargar os gabinetes a todo o território nacional”, referindo que os GAE assentam em dois princípios: disponibilidade e proximidade.

“De A a Z os GAE tratam de tudo o que tem a ver com emigração”, referiu José Luís Carneiro, acompanhado pelo Diretor de Serviços Regional da Direção-Geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas, Jorge Oliveira.

O governante observou, também, que “60 a 70 por cento dos emigrantes regressam a Portugal em menos de um ano”, o que confere maior importância ao papel dos Gabinetes de Apoio ao Emigrante.
O secretário de Estado insistiu que “há uma tendência para o movimento circular”, ou seja, “para que cidadãos saiam do país” para “oportunidades de emprego, muitas das vezes, de investigação, de conhecimento ou por razões culturais, científicas e técnicas, e que voltam ao país em períodos inferiores a um ano”.

Os GAE, salientou, são um “ponto de apoio daqueles que querem preparar uma saída para o estrangeiro”, pois podem ajudar a esclarecer “questões de natureza laboral” ou “informar as empresas sobre os deveres para com os trabalhadores e os assuntos fiscais dos países de acolhimento do seu investimento”.

A cerimónia realizou-se nos Paços do Concelho de Pombal, tendo o anfitrião, o presidente da Câmara Municipal Diogo Mateus, referido que o protocolo para a criação do Gabinete de Apoio ao Emigrante “é um primeiro passo que precisamos de concretizar, abrindo rapidamente o gabinete. Mas é o primeiro e não o último, pois será o início de uma relação de grande sucesso”. O autarca sugeriu também a realização de encontros de investidores da Diáspora naquele território, visto que a região de Leiria possui uma forte ligação com os empreendedores da Diáspora.