De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

Grito de uma emigrante

É, hoje também sou suíça!
É, sou apenas uma portuguesa que vive em Genebra!
Gostava eu de ser daqui e d’além…
Mas não… hoje não pertenço a nenhum estereótipo, nem ao português nem ao suíço!
Chegar a um país aos 16 anos e ser estudante é uma sorte, assim foi comigo.
Quanto aos meus pais, esses não tiveram escolha!
Eles trabalharam no duro e a poupar sempre e sempre para me darem o bem mais precioso, esse de ser uma mulher independente num mundo de homens… !

Chegou o dia de falar desse meu ser emigrante…
Ser emigrante é descobrir que a comunidade portuguesa não quer o bem do outro que também é português.
Ser emigrante é descobrir que a palavra inveja alimenta as almas e as apodrece.
Ser emigrante é deixar de ser português quando se vai de férias ou se volta de vez ao país de Camões.
Ser emigrante é arregaçar as mangas e trabalhar em todas as circunstâncias e condições.
Ser emigrante é ser considerado burro ou arrogante em qualquer lado.

E hoje, hoje existem os novos emigrantes, esses dos diplomas que querem ser mais que os outros que ali vivem há anos… e esses são os que eu chamo de “falsos inteligentes” e de “burrinhos arrogantes” que pelos diplomas se sentem superiores e acima do povinho que suja as mãos para lutar por um salário ao fim do mês!

O emigrante hoje é isto, de um lado “os burros” e do outro “os inteligentes”!

E eu, uma simples emigrante, assisto a uma peça de teatro!
Porque somos portugueses e não queremos ajudar quem descobre o país de emigração?
Esse cenário me revolta e me entristece!
Mas também fico sem palavras quando os portugueses de Portugal nos criticam quando ali vamos de férias!
Parem de meter todos no mesmo saco!
Idiotas existem em todas as espécies humanas!

E aqui dou o meu grito de emigrante portuguesa:

“Não há burros nem inteligentes nos países da diáspora! Nem mesmo em Portugal! Somos todos seres humanos imperfeitos! E haverá sempre uns idiotas e cretinos que de diferenças nada sabem e que apenas sabem olhar para si mesmos!”

Viva os portugueses de Portugal e da nossa diáspora!

BV 27.07.2019