De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

Fumar

Perdi a conta ao tempo e já não sei se já não fumo há sete anos ou há oito anos, lembro-me que terá sido em Janeiro ou em Fevereiro que aconteceu tal tragédia. A tragédia de deixar de fumar.

Fui a uma consulta médica de rotina e junto ao médico de família estavam duas estagiárias lindíssimas a quem um pecador não pode recusar o que quer que seja! Normalmente, para os médicos, mal nos acontece uma maleita, entre outros factores, culpam o tabagismo. Se um fulano tem tosse a culpa é tabaco, se tem uma dor nos joanetes a culpa é do tabaco, a coluna desgraça-se toda devido à inalação de fumo, a próstata incha muito mesmo que um tipo não fume nem deite fumo pelo rabo!

Motivado pela excitação que ia naquele consultório, deixei-me levar e garanti que deixaria de fumar a partir da próxima consulta. Que parvoíce mas a carne é fraca! E assim foi, na consulta seguinte deixei de fumar, isto é, fumei nos dias seguintes os restantes cigarros que transportava no bolso! Outra parvoíce…

Na terceira consulta garanti que não fumava e que a porcaria dos pensos e pastilhas elásticas que comprei eram muito caras, e que em termos de poupança, mais valia fumar que deixar de fumar. Na quarta consulta faltei por compromissos profissionais e o trio achou que eu tinha recaído, mesmo tendo avisado com vários dias de antecedência . Tal não aconteceu. Na quinta consulta e garantindo eu que não tinha voltado a fumar, acharam que eu merecia uma medalha. Claro que os avisei que não queria porra de medalha nenhuma.

Dois amigos chatearam-se comigo porque eu comecei a partilhar a minha experiência no Facebook desta coisa de deixar de fumar e as mulheres deles chateavam-os todos os dias para seguirem o meu exemplo!! Sempre eu escrevia que tinha deixado fumar há um ano, para aí 90 pessoas comentavam que não fumavam há mais de 40, umas 50 davam-nos os parabéns, outros referiam que também tinham deixado de fumar e comprado bicicletas e roupas coladas ao corpo para correrem e treinarem maratonas!

E lá vão uns anos e nem me sinto mais feliz, nem mais realizado, muito menos mais rico, nem mais saudável, mas aguenta-se. Felizmente não me transformei num ex-fumador daqueles chatos e que acham que são exemplo para o mundo, e que é fácil, e isto e aquilo… Eles não compram tabaco mas gastam imenso dinheiro em fatos de treino e sapatilhas. Apenas sou, e com muito orgulho, um fumador que não fuma.