De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Mundo

EUA: republicanos tentam impedir imigrantes de votar

Um grupo de membros republicanos do Congresso estadual de Nova Iorque quer bloquear a nova lei da cidade homónima que permite aos imigrantes votarem nas eleições autárquicas, entrada em vigor no último domingo.

A queixa foi apresentada na segunda-feira ao Supremo Tribunal de Albany, capital estadual, assinada por 17 congressistas, que entendem que uma lei destas “tem como fim último suprimir todas as linhas [de separação] entre cidadãos e não cidadãos”, afirmou, em comunicado, o presidente do grupo, Nick Langworthy.

“Prometemos usar cada instrumento legal ao nosso dispor para bloquear esta lei inconstitucional e anti-americana”, segundo Langworthy. “A lei é clara e a ética ainda mais: não devemos deixar os cidadãos de outros países votar nas nossas eleições. Ponto”, insistiu.

Outro dos subscritores, o presidente do distrito de Staten Island, Vito Fossella, assinalou que a lei “é uma bofetada na cara de cada cidadão estado-unidense, nascido ou naturalizado (e) um insulto a cada imigrante que respeitou a lei, teve aulas de cidadania e jurou lealdade à nossa nação”.

A lei, aprovada em dezembro, foi referendada pelo novo presidente da autarquia de Nova Iorque, Eric Adams, que tomou posse em 01 de janeiro, sucedendo a Bill de Biasio, e que tinha até domingo para a vetar.

A nova lei vai permitir acrescentar aos cadernos eleitorais quase 900 mil pessoas, grande parte delas imigrantes de origem latina.

Estes novos eleitores vão poder eleger autarcas, mas não podem participar nas eleições do Estado ou nas federais.

Para Langworthy, “com apenas duas semanas de governo, Adams já está a ceder aos radicais”, em alusão ao posicionamento político do governador, situado na ala direita dos democratas.

O novo vereador dos Tansportes, Ydanis Rodríguez, que foi o grande impulsionador da lei, afirmou que a entrada em vigor do novo texto legislativo “é um momento histórico para Nova Iorque e a democracia”.