De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Europa

Empresa lusa integra rede de ensino médico digital

A empresa portuguesa Take The Wind integra uma rede europeia de ensino médico através de mecanismos digitais e simuladores.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a Take The Wind, empresa com sede em Coimbra e que foi a criadora do simulador de pacientes virtuais – Body Interact, explica que o projeto europeu SAFETY – Simulation Approach for Education and Training in Emergency, consiste na utilização de sistemas inovadores de simulação direcionados para o ensino.

O projeto tem como objetivo a “renovação da oferta de formação existente e a ultrapassagem de lacunas, tornando os profissionais mais confiantes e prontos para atuar em situações reais de emergência ou colaborar com empresas envolvidas no desenvolvimento de ferramentas de simulação médica”.

O projeto integra 10 parceiros de sete países diferentes (Áustria, Alemanha, Noruega, Portugal, Espanha e Itália).

Desde universidades a empresas que estão dedicadas à área da educação, do treino clínico e simulação, todos cooperam para “intercâmbio de conhecimentos e boas práticas no campo da medicina de emergência e dos cuidados intensivos”, lê-se em nota de imprensa.

Durante os próximos meses, a prioridade dos intervenientes do projeto vai ser analisar os grupos alvo “para estruturar novos cursos” e ainda “reforçar as competências e a modernização dos sistemas de ensino europeus”.

Face ao combate à atual pandemia, provocada pela Covid-19, o projeto é visto como uma “oportunidade ao serviço de todos os países europeus para proporcionar soluções e melhorar a qualidade dos serviços oferecidos aos pacientes dos cuidados intensivos”.

O diretor executivo da Take The Wind, Pedro Pinto, reforça a importância desta iniciativa para formação dos profissionais de saúde e para a segurança dos pacientes.

O projeto é financiado pelo Programa Europeu Erasmus + Knowledge Alliance 2: Cooperação para a Inovação e o Intercâmbio de Boas Práticas e é coordenado pelo Departamento de Ciências Médicas e Cirurgias da Universidade de Foggia (Itália).

#portugalpositivo