De que está à procura ?

Europa

Eleições francesas: Europa e Rússia no centro do debate

© DR

O candidato à Presidência francesa Emmanuel Macron acusou no debate de quarta à noite Marine Le Pen de “depender do poder russo e de Putin”, referindo-se ao empréstimo concedido por um banco russo à sua adversária de extrema-direita.

A acusação de Macron a Le Pen foi feita durante o debate televisivo para as eleições presidenciais, cuja segunda volta está marcada para 24 de abril.

Acusada de depender do Presidente russo Vladimir Putin, a candidata de extrema-direita respondeu que “não tinha outra dependência senão pagar o seu empréstimo”.

Le Pen refutou a acusação de Macron, que considerou “falsa e bastante desonesta”, justificando que nenhum banco francês lhe havia atribuído um empréstimo.

A candidata à Presidência francesa disse apoiar uma “Ucrânia livre”, independente dos Estados Unidos, da União Europeia (UE) e da Rússia.

“Apoio uma Ucrânia livre que não seja submissa aos Estados Unidos, à União Europeia ou à Rússia, essa é a minha posição”, disse Marine Le Pen durante o debate televisivo para as eleições, citando afirmações suas de 2014.

Emmanuel Macron e Marine Le Pen iniciaram hoje debate explanando as suas propostas para defender o poder de compra dos franceses, prejudicados nos últimos meses pelo aumento dos preços da energia e pelas consequências da guerra na Ucrânia.

Le Pen defendeu inicialmente as suas propostas para reduzir o IVA em todas as fontes de energia, de 20% para 5,5%, dizendo que entre essa e outras medidas poderia aumentar o rendimento familiar líquido numa média de 150 a 200 euros.

O atual chefe de Estado salientou as medidas já tomadas pelo seu Governo para estancar os preços do gás e da eletricidade, mas afirmou que o corte do IVA iria promover o consumo de “energia fóssil que deve ser importada”.

O debate começou de forma caricata com Marine Le Pen a fazer a sua declaração inicial quando ainda não estava em antena, o que deu o mote para uma boa parte do debate. A candidata do RN mostrou-se pouco à vontade em vários domínios, apesar de demonstrar melhor preparação do que há cinco anos quando tinha sido “Massacrada” por Macron.

Marine Le Pen passou à segunda volta das eleições presidenciais em França, ao recolher 23,2% dos votos no escrutínio do passado dia 10, e voltará a defrontar o Presidente cessante, Emmanuel Macron, que obteve 27,8% dos votos.

O ocupante do Eliseu (Presidência francesa) é escolhido no próximo domingo, assinalando as sondagens mais recentes um aumento da vantagem de Emmanuel Macron em relação a Marine Le Pen.

TÓPICOS