De que está à procura ?

Desporto

E os melhores da I Liga 2021/22 são…

Sérgio Conceição, campeão pelo FC Porto, e Darwin Núñez, que jogou no Benfica, foram eleitos melhor treinador e futebolista da edição 2021/22 da I Liga, na cerimónia do sorteio das competições profissionais de 2022/23, no Porto.

O técnico, de 47 anos, bateu Ricardo Soares (Gil Vicente) e Rúben Amorim (Sporting) na votação efetuada pelos seus homólogos e ‘capitães’ dos 18 clubes primodivisionários, ao passo que o avançado internacional uruguaio, de 23 anos, que já estava englobado na equipa do ano, suplantou Ricardo Horta (Sporting de Braga) e Vítor Ferreira (FC Porto).

Sérgio Conceição recebeu o prémio ‘Vítor Oliveira’ pela terceira ocasião, após 2017/18 e 2019/20, épocas em que também conduziu os ‘dragões’ à conquista do título nacional, sucedendo a Rúben Amorim, vencedor do mesmo galardão em 2020/21 pelos ‘leões’.

“Estou cá para receber o prémio, mas podiam estar 60 pessoas que trabalham no [centro de estágios do] Olival diariamente e que permitiram conquistar este título tão saboroso e apetecível. Se foi o campeonato que deu mais prazer? Ganhar dá-me sempre prazer e todos os títulos são diferentes. O primeiro foi muito importante por tudo aquilo que o FC Porto vivia naquele momento, não só a nível desportivo, mas também pelas dificuldades financeiras, que continua a ter”, expressou o técnico, numa reação à distinção recebida.

Além da vitória em pleno Estádio da Luz ante o Benfica (1-0), à 33.ª e penúltima ronda, com um golo do defesa nigeriano Zaidu, aos 90+4 minutos, que ‘selou’ o 30.º título dos ‘dragões’, Sérgio Conceição lembrou a reviravolta na casa do Estoril Praia (3-2), à 17.ª.

“Conheço a forma determinada e ambiciosa como os meus jogadores trabalham e esse jogo foi a confirmação disso, mas também percebi que iríamos ter muitos desafios pela frente. Tínhamos o mercado de janeiro a aproximar e não nos podemos esquecer que saíram três jogadores importantíssimos, que foram só os últimos melhores jogadores da nossa Liga, como [Jesús] Corona, Sérgio Oliveira e Luis Díaz. [O título] É um trabalho principalmente dos jogadores e das pessoas que trabalham com esta equipa técnica, composta por gente muito competente e que dá diariamente o seu melhor”, adicionou.

Já Darwin Núñez, recentemente transferido para os ingleses do Liverpool, foi o melhor marcador da I Liga em 2021/22, com 26 golos, tendo recebido uma inédita distinção de melhor jogador, um ano depois do compatriota Sebastián Coates, ‘capitão’ do Sporting.

“Estou muito feliz por ter sido considerado o melhor jogador da I Liga, na qual estive bastante bem e aprendi muitas coisas. É uma competição muito boa para os jogadores jovens continuarem a aprender e a somar experiência, tal como aconteceu comigo, tendo em vista o ‘salto’ para um [clube] grande da Europa. Muito obrigado a todos”, comentou.

Conquistada por Pedro Gonçalves nas últimas duas temporadas ao serviço de Famalicão e Sporting, a distinção de melhor jogador jovem foi atribuída ao médio internacional luso Vítor Ferreira, que recentemente se transferiu para o Paris Saint-Germain.

“Queria agradecer aos ‘capitães’ e treinadores que votaram. É um orgulho receber este prémio, que irá ficar para o resto da minha vida. Resta-me também agradecer a todos os meus colegas e equipa técnica, que tirou o melhor de mim. Nada disto aconteceria sem o sucesso coletivo que tivemos. Estou feliz, muito realizado e agradeço o prémio”, referiu.

Na II Liga, Filipe Martins (Casa Pia) e Henrique Araújo (Benfica B) ganharam os prémios de treinador e jogador jovem do ano, respetivamente, com Guga (Rio Ave) a bater João Teixeira (Desportivo de Chaves) e Saviour Godwin (Casa Pia) enquanto melhor jogador.

Benfica e Trofense, em termos coletivos, bem como o guarda-redes internacional grego Odysseas Vlachodimos (Benfica) e Mika (Académica), no capítulo individual, impuseram-se nos prémios de ‘fair play’, que prestam homenagem ao falecido ex-‘guardião’ Neno.

Em matéria de golos, sobressaíram um ‘chapéu’ ainda antes da linha de meio-campo do avançado brasileiro André Silva, no triunfo do Arouca sobre o Gil Vicente (2-1), da 28.ª ronda da I Liga, e um remate de ‘bicicleta’ do dianteiro luso-cabo-verdiano Fábio Fortes, perto do fim da derrota da Académica ante o Nacional (1-2), na 10.ª jornada da II Liga.

Entre outros reconhecimentos, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) deu o prémio Prestígio a Tiago Craveiro, que passou a administrador da UEFA, após 10 anos como diretor-geral da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), destinando o galardão Mérito Fundação à Fundação Benfica, responsável pela iniciativa “Juntos pela Ucrânia”.

Os prémios individuais relativos à última edição da I e II Ligas foram entregues durante a cerimónia ‘Kick-Off 2022/23’, no Centro de Congressos da Alfândega do Porto, marcada igualmente pelo sorteio do calendário dos dois campeonatos profissionais para 2022/23.

Na próxima época vai iniciar o ‘Talent Legends’, diversificado programa de eventos que visará reconhecer jogadores e treinadores com impacto nas duas principais provas sob alçada da LPFP, em simultâneo com a primeira edição do circuito nacional de ‘Legends’.

Lista de premiados:

– Melhor futebolista da I Liga: Darwin Núñez (Benfica).

– Melhor futebolista da II Liga: Guga (Rio Ave).

– Melhor treinador da I Liga: Sérgio Conceição (FC Porto).

– Melhor treinador da II Liga: Filipe Martins (Casa Pia).

– Melhor jogador jovem da I Liga: Vítor Ferreira (FC Porto).

– Melhor jogador jovem da II Liga: Henrique Araújo (Benfica B).

– Jogador mais disciplinado da I Liga: Odysseas Vlachodimos (Benfica).

– Jogador mais disciplinado da II Liga: Mika (Académica).

– Equipa mais disciplinada da I Liga: Benfica.

– Equipa mais disciplinada da II Liga: Trofense.

– Golo do ano da I Liga: André Silva (Arouca).

– Golo do ano da II Liga: Fábio Fortes (Académica).

– Prestígio: Tiago Craveiro.

– Mérito Fundação Liga Portugal e Santa Casa Misericórdia de Lisboa: Fundação Benfica.

– Parceiro Oficial: Bwin.

– Media Partner: SIC.

TÓPICOS